Economistas defendem inserção de idosos no mercado de trabalho

Economistas defendem inserção de idosos no mercado de trabalho

A maioria das empresas no Brasil ainda resiste a contratar pessoas com mais de 50 anos, mas essa realidade terá de mudar porque a tendência é de aumento gradativo da população idosa e de faltarem jovens para o mercado de trabalho. A afirmação foi feita hoje (30) pelo presidente do Conselho de Emprego e Relações do Trabalho da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FecomercioSP), José Pastore, durante encontro que discutiu a atual e a futura situação do idoso no mercado.

Segundo o economista, por enquanto, a sociedade não se deu conta da desproporção entre o envelhecimento dos profissionais e a oferta da mão de obra juvenil. Porém, à medida que a economia for retomando o crescimento, isso será mais facilmente constatado, já que “haverá dificuldade em preencher vagas”. Leia Mais

Apenas uma competência resolve nossa carreira?

Apenas uma competência resolve nossa carreira

Há três anos, programar era o “novo inglês”. Hoje, ser criativo parece premissa básica de qualquer profissão. Resolver problemas complexos é diferencial. Se você tiver conhecimento sobre dados, melhor ainda. Entre tantos novos imperativos, é difícil saber o que vale hoje – e o que dirá amanhã – para cada profissão.
A velocidade das competências técnicas e comportamentais exigidas pelas empresas muda tão rápido quanto o impacto das tecnologias. Diante desse cenário, uma premissa parece valer: as competências são perecíveis e não valerão para o restante da vida. A opinião é de Leandro Herrera, fundador da Tera, escola que desenvolve habilidades exclusivamente digitais. Leia Mais

Por que homens que ganham menos que as esposas mentem sobre seus salários

Por que homens que ganham menos que as esposas mentem sobre seus salários

O empoderamento das mulheres ganha força no mundo — apesar de o público feminino estar longe de atingir o nível ideal de igualdade de gênero, principalmente no mercado de trabalho. Homens que ganham menos que suas esposas mentem o valor de sua renda, aumentando-a, quando respondem a pesquisas sobre renda familiar.

Essa foi a conclusão de um artigo publicado pelo Departamento do Censo dos Estados Unidos em novembro, segundo reportagem da The Economist. Os dados mostram que, quando as mulheres ganham 50% mais que seus companheiros, eles superstimam seus salários em 2,9%. Leia Mais

Como preparar seus funcionários para mudanças na empresa

Como preparar seus funcionários para mudanças na empresa

Funcionários de todo o mundo relatam que grandes mudanças organizacionais estão afetando seus empregos. De transições e reestruturações de liderança, a fusões e aquisições, passando por mudanças regulatórias, parece haver uma constante inquietação na força de trabalho. Porém, de acordo com uma pesquisa elaborada com mais de meio milhão de funcionários dos Estados Unidos, quase um terço não entende por que essas mudanças estão acontecendo. Leia Mais

O que fazer se a sua equipe está ocupada demais para assumir novas tarefas

O que fazer se a sua equipe está ocupada demais para assumir novas tarefas

Quando uma linha de manufatura em uma fábrica está operando de maneira eficiente, podem-se ver fileiras de braços robóticos trabalhando de forma sincronizada, esteiras transportadoras movendo-se com facilidade e mercadorias sendo produzidas. Infelizmente, quando se trata de trabalho ligado ao conhecimento, torna-se bem mais difícil entender em que medida aquela equipe está produzindo.

Todas as organizações chegam a um ponto em que, se quiserem continuar a crescer, terão de, simplesmente, contratar mais pessoas. Mas pode ser difícil saber quando você atingiu esse ponto. Leia Mais

E se parássemos de trabalhar um dia por semana?

E se parássemos de trabalhar um dia por semana

Muitos estudos costumam sair de laboratórios ou de professores ligados a universidades. Isso não quer dizer que empresas também não contribuam com bons – e úteis – insights de economia comportamental. Um exemplo é um experimento da Perpetual Garden, uma empresa da Nova Zelândia que administra fundos e planejamento imobiliário.

Existe uma grande discussão sobre como todo mundo pode ser mais produtivo no trabalho. Depois de ler um estudo a respeito da baixa produtividade no país, que sugeria que em média trabalha-se de fato apenas uma hora e meia por dia, Andrew Barnes, o fundador da empresa, se perguntava se a razão não seria uma jornada de trabalho longa demais. Leia Mais

Salário para desenvolvedor de blockchain já supera US$ 120 mil ao ano nos EUA

Salário para desenvolvedor de blockchain já supera US$ 120 mil ao ano nos EUA

A demanda por engenheiros de blockchain ou desenvolvedores de software continua em crescimento e os salários para essas posições estão aumentando em sincronia.

O salário médio para um desenvolvedor de blockchain nos EUA é, agora, de US$ 127 mil ao ano, com pessoas experientes chegando a ter salários de US$ 172 mil quando se mudam para novas organizações, segundo a Janco Associates, uma empresa de consultoria de gestão que realiza pesquisas salariais regulares. Leia Mais

Profissionais de mais de 60 anos estão virando empreendedores digitais

Profissionais de mais de 60 anos estão virando empreendedores digitais

Startup, coworking, big data, cloud computing, firewall, chatbot, malware… até pouco tempo, esses termos eram utilizados mais comumente pelos jovens. Hoje em dia, no entanto, eles têm feito parte do dia a dia de muitos dos que passaram dos 60 anos, e olha que no Brasil já são mais de 30 milhões, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O aumento da longevidade é determinante – só para se ter uma ideia, a expectativa de vida no país subiu de 45,5 anos em 1940 para 75,8 anos em 2016 -, a queda da taxa de fecundidade (a projeção para este ano é de 1,77 filho por mulher e, em 2060, 1,66) e a melhora na Leia Mais

Por que grandes funcionários deixam “grandes culturas”

Por que grandes funcionários deixam grandes culturas

“Temos uma grande cultura.” Todos nós já ouvimos isso. Todos nós já dissemos isso. Mas o que isso realmente significa? Mesas de pingue-pongue, refeições e chope gratuitos? Não. Yoga, aulas de crossfit e cadeiras de massagem? Preciso disso, mas não. A promessa de fazer parte de uma equipe moderna, de crescimento acelerado e incentivada por ações? Quase, mas ainda não.

A cultura é muitas vezes referida como “a maneira como as coisas são feitas por aqui”. Mas, para ser útil, precisamos ser mais específicos do que isso. Trabalho na área de RH há mais de vinte anos e as melhores empresas com as quais trabalhei reconheceram que há três elementos que compõem uma cultura: comportamentos, sistemas e práticas, todos guiados por um conjunto abrangente de valores. Leia Mais

Guia de aposentadoria do CEO

Guia de aposentadoria do CEO

“Não sei exatamente o que fazer agora”, afirma Simon, CEO de mídia, que foi presidente executivo por 15 anos e CFO antes dos 30. Ele havia revertido situações de empresas privadas e de capital aberto, quadruplicado lucros e quintuplicado receitas. No entanto, com a venda da empresa em que trabalhava, Simon pensou em se aposentar. Como muitos CEOs, não teve tempo de planejar a aposentadoria — toda a sua atenção estava voltada para o comando da empresa.

A cada ano, mais de uma centena de CEOs se aposenta do S&P 1000. Mesmo nos processos mais bem-sucedidos de sucessão de CEO, há quase sempre uma peça faltando: a preparação do atual CEO para a próxima fase de sua carreira. “Minha atenção estava tão voltada para o trabalho de CEO que não gastava tempo pensando no que faria a seguir”, afirma Scott Davis, ex-CEO da UPS. Leia Mais

5 profissões promissoras que exigem análise de dados

5 profissões promissoras que exigem análise de dados

O termo “big data” está em todos os lugares nos últimos tempos, e por uma boa razão. Mais do que nunca os produtos que utilizamos estão conectados à internet: celulares, TV’s, relógios, câmeras. Quase todo dispositivo eletrônico criado hoje está conectado à internet por algum propósito de funcionalidade e experiência.

O resultado de ter dispositivos conectados é a geração de dados. Muitos, muitos dados. Isso significa que se você for capaz de visualizar dados e encontrar padrões de forma rápida e eficiente, você é extremamente valioso para o mercado. Logo abaixo cinco carreiras em que essas habilidades são essenciais. Leia Mais

12 atividades que caem bem no seu currículo

12 atividades que caem bem no seu currículo

O conselho básico de profissionais de recrutamento é que você NÃO deveria incluir atividades extras em seu currículo. Além de ocupar espaço valioso em sua apresentação, o fato de que você pratica Pilates ou esportes de ação gasta segundos de leitura preciosos ao recrutador, que no fundo está buscando outras informações. Em algumas situações, porém, algumas atividades e hobbies podem realmente destacar um currículo – e de maneira positiva.

Para quem busca vaga em uma empresa como o Google, por exemplo, essa pode ser uma parte importante do documento. Um ex-estagiário da empresa de tecnologia já contou que os recrutadores de lá querem ver detalhes pessoais dos candidatos no currículo. O segredo, como sempre, é formatar o CV sabendo o que os executivos de cada empresa buscam. Leia Mais

Como preservar e engajar seus funcionários classe B

Como preservar e engajar seus funcionários classe B

Durante décadas ouvimos que deveríamos contratar apenas funcionários classe A e, até mesmo, que deveríamos tentar cortar os demais de nossas equipes. Porém, além de os critérios para definir um funcionário classe A variarem muito entre as empresas, é utópico acreditar que só se pode trabalhar com eles. Ademais, como foi demonstrado pelo projeto Aristóteles da Google, que analisou o que torna uma equipe eficaz, essa preferência ignora o valor profundo daqueles que são considerados classe B.

Pelo que já pude notar em empresas de todos os tamanhos e áreas, os funcionários-estrela têm, com frequência, dificuldade em se adaptar à cultura e podem não colaborar bem com os colegas. Leia Mais

10 razões para questionar se uma faculdade em Ciência da Computação é o que você precisa

10 razões para questionar se uma faculdade em Ciência da Computação é o que você precisa

Considere as palavras: computador e ciência. O primeiro conceito é imenso e abrange desde a onipresença vitalícia dos registros médicos eletrônicos até a oportunidade de participar de uma briga de bar virtual a qualquer hora do dia no Twitter. A segunda palavra, ciência, representa um movimento intelectual que produziu grandes avanços como a vacina contra a poliomielite, algumas viagens à lua e muitas outras para listar. Então, por que a combinação das duas palavras é tão curta, especialmente quando procuramos formar nossas equipes de programação?

Não é que o campo não tenha sido entregue. Há petabytes de arquivos LaTeX por aí repletos de ideias brilhantes, como novas linguagens de programação, algoritmos de busca inteligentes, algoritmos de visão de máquina e uma infinidade de noções intermediárias. Muitos desses são maravilhosos. Leia Mais

5 dicas para você se tornar um profissional autônomo de sucesso

5 dicas para você se tornar um profissional autônomo de sucesso

Nem todo mundo nasceu para trabalhar dentro de uma empresa por vários anos. No Brasil, 32% da força de trabalho é composta por profissionais autônomos. De acordo com a Pesquisa Mensal de Emprego (PME) de 2015, realizada pelo IBGE, o número de profissionais autônomos chegava a 4,3 milhões.

Ter um trabalho em casa, em um escritório próprio ou um coworking, fazer a própria agenda e aproveitar oportunidades de emprego de acordo com as necessidades do mercado é o sonho de muita gente por aí. Leia Mais

Empresas brasileiras dispensam o diploma na hora de contratar

Empresas brasileiras dispensam o diploma na hora de contratar

A Movile, especializada em serviços móveis e dona de marcas como o iFood, não exige diploma universitário para nenhuma vaga. A Creditas segue a mesma política. No Nubank, o diploma é visto como “referência” e não “ponto de corte”. Na ThoughtWorks, o documento não é solicitado na hora da admissão.

Levantamento solicitado por Época NEGÓCIOS à plataforma Love Mondays mostra que há empresas brasileiras dispensando a obrigatoriedade do diploma na hora de contratar. Na prática, significa que muitos candidatos não precisam ter formação universitária para ocupar diversas funções ou cargos. As informações foram enviadas por diretores de RH e coletadas no final de agosto. Leia Mais

Salário das mulheres cresce mais que o dos homens no Brasil

Salário das mulheres cresce mais que o dos homens no Brasil

O salário das mulheres brasileiras cresceu mais do que o dos homens em 2017, indica um levantamento feito pelo Ministério do Trabalho com base na Relação Anual de Informações Sociais (Rais). No ano passado, a remuneração média das trabalhadoras foi de R$ 2.708,71, um crescimento de 2,6% na comparação com 2016. No mesmo período, o salário dos homens aumentou 1,8%.

A diferença salarial entre homens e mulheres vem diminuindo a cada ano, aponta o ministério. Mesmo assim, em 2017, a remuneração média das mulheres correspondia a 85,1% do salário dos homens. Leia Mais

As surpreendentes vantagens de se trabalhar falando outro idioma

As surpreendentes vantagens de se trabalhar falando outro idioma

Recentemente, passei quatro meses trabalhando na BBC em Londres, e sempre pensei muito melhor em inglês do que falei. Frequentemente esquecia palavras, fazia anotações gramaticais e perdia a precisão habitual do meu espanhol nativo. Parecia que estava comendo uma sopa com um garfo.

Enquanto escrevo isso (o texto foi originalmente publicado em inglês), tenho um dicionário aberto na minha frente porque aprendi a desconfiar do que algumas palavras significam.

Mas há um lado bom para aqueles que estão trabalhando em idiomas diferentes do materno. Pesquisas mostraram recentemente que pessoas que falam uma língua estrangeira são mais analíticas. Outros estudos indicaram que os bilíngues tomam decisões de maneiras diferentes daqueles que possuem apenas um idioma. Leia Mais

Quer crescer na carreira? Conheça 5 tipos de pessoas que você deve ter em sua rede de contatos

Quer crescer na carreira? Conheça 5 tipos de pessoas que você deve ter em sua rede de contatos

A maior rotatividade entre as empresas mostra hoje a preferência dos profissionais em colecionar experiências e desenvolver suas habilidades sem necessariamente seguir um plano de carreira linear e imutável.

Embora a necessidade de um mentor ou veterano sábio que dê conselhos sobre carreira tenha deixado de ser algo indispensável para quem busca desenvolvimento profissional, progredir na carreira exige muito mais do que uma mera rede de contatos. É necessário ter seu próprio “conselho administrativo”.

Como fazer isso? Você pode começar entrando em contato com quatro a seis pessoas com quem você acha que pode aprender. Leia Mais

Petrobras vai lançar novo programa de remuneração de empregados

Petrobras vai lançar novo programa de remuneração de empregados

Ao mesmo tempo em que avança na sua reestruturação interna, a Petrobras informou nesta segunda-feira (15) aos seus funcionários que vai detalhar ainda esta semana um novo modelo de remuneração, o Programa de Remuneração Variável dos Empregados (PRVE), condicionado a três pilares: metas de desempenho pré-acordadas, desempenho da gerência a qual o empregado está vinculado e ao desempenho da companhia.

Segundo a Petrobras, o programa permitirá o pagamento de um valor monetário adicional anualmente. “Além de prosseguirmos com um pacote remuneratório e de benefícios mais atrativo que a média do mercado, o PRVE está em linha com outras iniciativas que temos desenvolvido para aproveitar e estimular o potencial das pessoas, buscando direcioná-lo para a obtenção de melhores resultados para a companhia e para conquistas adicionais para os profissionais”, informou a estatal internamente. Leia Mais

Lynsi Snyder – A CEO de 36 anos que tem 96% de aprovação de seus funcionários

Lynsi Snyder - A CEO de 36 anos que tem 96% de aprovação de seus funcionários

Os funcionários da rede de fast food americana In-N-Out amam a sua chefe. Nesta semana, 96% dos funcionários deram a Lynsi Snyder, a presidente da rede, uma avaliação positiva no site Glassdoor. O sucesso da CEO não para por aí. Neste ano, o site a escolheu como a quarta melhor CEO dos Estados Unidos. A empresa também está entre os melhores lugares para se trabalhar desde 2015.

Lynsi Snyder também apareceu recentemente em uma reportagem da Forbes, que tenta explicar a razão do amor dos funcionários da rede. Segundo a Forbes, os gerentes do In-N-Out estão, em média, há 17 anos na empresa e ganham mais do que um dentista ou contador na Califórnia. Os funcionários ganham US$ 13 (R$ 49) por hora e têm plano de saúde. Leia Mais

O resultado de contratar programadores com autismo

O resultado de contratar programadores com autismo

Entre as bancadas de trabalho de uma equipe na SAP Labs Latin America, na cidade gaúcha de São Leopoldo, uma destoa. Longe do corredor, a mesa decorada com fotos de família e imagens dos personagens da saga Star Wars é a única com divisórias. O isolamento foi levantado a pedido da dona do espaço, a curitibana Márcia Machado, de 41 anos. O vaivém de pessoas, o burburinho, as luzes — a agitação típica dos escritórios lhe é insuportável.

Em seu intramuros (e apesar dele), não é raro encontrá-la de óculos escuros e fones de ouvido. “Do contrário, não consigo me concentrar”, diz. Esnobismo? De jeito nenhum. Ela, aliás, é muito querida pelos colegas. A programadora Márcia é portadora de autismo. Considerado por muito tempo incapacitante, o transtorno não a impediu de entrar para o time de profissionais de alta performance da empresa. A SAP Labs é um braço da SAP, multinacional alemã, gigante na área de software empresarial. Leia Mais

Há empregos que não valem a pena salvar?

Há empregos que não valem a pena salvar

A ficção científica está repleta de histórias sobre uma inteligência artificial que desenvolve consciência e parte para a destruição da humanidade.

Na verdade, a ameaça é muito menos dramática, mas igualmente assustadora, de acordo com o historiador Yuval Noah Harari, que prevê desordenamento na força de trabalho, nos governos mundiais e na nossa vida emocional.

Harari criou uma base mundial de fãs com “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade”, em 2001. O best-seller questionava a interpretação convencional sobre a origem das espécies.

Em 2017 ele seguiu esse trabalho como “Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã”. Em “21 Lessons for the 21st Century”, publicado em setembro, o pesquisador israelense oferece conselhos sobre como enfrentar as questões mais prementes do amanhã, da tecnologia da informação ao terrorismo. Leia Mais

Oportunidade: Alemanha aprova lei para receber imigrantes qualificados

Oportunidade: Alemanha aprova lei para receber imigrantes qualificados

Os partidos que integram a coalizão de governo na Alemanha fecharam um acordo na última terça-feira (02/10) sobre uma nova lei de imigração para atrair novos trabalhadores qualificados de fora da União Europeia (UE).

O documento foi assinado pelas legendas União Democrata Cristã (CDU), da chanceler Angela Merkel, a União Social Cristã (CSU), do ministro do Interior, Horst Seehofer, e o Partido Social-Democrata (SPD), do ministro do Trabalho, Hubertus Heil.

A lei trata sobre a delicada questão migratória e tem o objetivo de preencher o número elevado de vagas disponíveis no mercado de trabalho no território alemão. Leia Mais

‘É aceitar ou ser demitida’: os desafios de quem esconde tatuagens por medo de perder o emprego

os desafios de quem esconde tatuagens por medo de perder o emprego

Formado em Educação Física e com inglês fluente, Acácio Moreira, de 22 anos, ficou surpreso após receber a notícia de que não havia passado no processo seletivo para ser personal trainer em uma academia na avenida Paulista, em São Paulo.

Relato similar ao do médico da Força Aérea Brasileira Renan Pires Negrão dos Santos, de 35 anos, que diz que foi impedido de trabalhar na Polícia Militar de São Paulo em 2013 por um motivo que nada tinha a ver com seu currículo: uma tatuagem no braço.

“Eu passei na primeira fase do concurso, mas fui reprovado durante a inspeção de pele do exame médico. Quando eu levantei a mão, minha tatuagem foi vista e avaliada como irregular. Isso aconteceu porque ela estava numa área que poderia ser vista quando eu usasse o uniforme de treino, então, fui desclassificado”, conta Santos. Leia Mais

Caixa e Banco do Brasil cortam 21,2 mil empregados

Caixa e Banco do Brasil cortam 21,2 mil empregados

Bancos públicos diminuíram a folha de pagamento em 21,2 mil empregados nos últimos dois anos. O corte faz parte do esforço do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal em reduzir custos e tornar a estrutura mais parecida com a dos bancos privados. A saída dos empregados deve gerar economia de pelo menos R$ 2,5 bilhões por ano aos dois bancos.

Após operar com mais de 114 mil empregados no início da década, o BB que já foi símbolo de emprego estável, começou a agir para reduzir o quadro de funcionários. Ações como o incentivo à aposentadoria e mudança na estrutura de atendimento resultaram na saída de mais de 16 mil pessoas, sendo quase 12 mil apenas nos últimos dois anos, quando o quadro diminuiu em 10,9%. Na Caixa, um plano de demissão voluntária resultou na saída de 9,2 mil pessoas, queda de 9,7%. Leia Mais

O desafio de se aposentar em um Brasil cada vez mais velho

O desafio de se aposentar em um Brasil cada vez mais velho

O envelhecimento da população brasileira que ameaça a sustentabilidade do atual sistema previdenciário está fazendo cada vez mais gente repensar estratégias para se preparar para o futuro. Segundo estimativa do economista Rogério Nagamine, pesquisador do Ipea, hoje, o país já tem dois contribuintes para cada beneficiário do sistema de aposentadorias e pensões. Em 2040, se nenhuma reforma for feita, essa proporção chegará a um para um.

Em 2050, o Brasil terá mais beneficiários que contribuintes. Esse quadro tende a intensificar um movimento observado nos últimos anos: a busca por planos de previdência complementar. Em cinco anos, as reservas nesse tipo de investimento mais que dobraram, de acordo com dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi). Leia Mais

50 trabalhos freelancer com alta demanda

50 trabalhos freelancer com alta demanda

A plataforma especializada em mercado para autônomos Freelancer.com divulgou o ranking dos trabalhos que mais cresceram no segundo trimestre de 2018 – chamado de Quarterly Freelancer Fast 50. Foram analisados mais de 530 mil jobs postados no site para determinar os 50 com mais alta demanda.

Entre eles, os ligados a Web Development dominaram a lista. No entanto, uma surpresa: as oportunidades para as habilidades de engenheiros também estão com alta demanda no mercado autônomo, com Engenharia, Engenharia Mecânica e Elétrica figurando entre os 50 listados.

O objetivo do relatório Fast 50, que é divulgado trimestralmente, segundo a realizadora, é que os freelancers consigam preparar suas carreiras de acordo com as demandas de empresas de todo o mundo. Além disso, oferecer aos empreendedores informações sobre as tendências promissoras do mercado online – e da Gig Economy (“Economia sob demanda”), em geral. Leia Mais

Petrobras quer aumentar número de mulheres em cargos de liderança

Petrobras quer aumentar número de mulheres em cargos de liderança

A Petrobras pretende aumentar em 40% a participação das mulheres em cargos de liderança dentro da empresa dentro de um plano de equidade de gêneros da estatal. A meta é chegar em 2025 com 25% de ocupação feminina, ante os 18% atuais. A informação foi confirmada hoje (24/9) pela estatal.

Segundo a Petrobras, a ampliação será feita com base na meritocracia, por meio de ações de promoção propostas. Entre as ações previstas está criar um “programa de formação continuada de lideranças femininas e estimular que elas trabalhem também em áreas operacionais”.

Outras ações preveem iniciativas para a formação e a atração de talentos, com foco nas estudantes do sexo feminino do ensino médio, como palestras em escolas para promover as áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática. Para as universitárias destas áreas e de outras carreiras de interesse da Petrobras, está prevista a concessão de bolsas de estudo. Leia Mais

Conheça as três carreiras mais promissoras da atualidade

carreiras mais promissoras da atualidade

Com as chamadas tecnologias emergentes, novas plataformas e o potencial criativo atual, existem cada vez mais razões para investir nas habilidades do século 21 para construir sua carreira.

A Mastertech, startup que desenvolve talentos para tais habilidades, resumiu na lista abaixo as três carreiras que estão se destacando nesse cenário e aparecendo como ótimas alternativas para pessoas que querem mudar de emprego ou que estão dando seus primeiros passos no universo profissional.

1. Desenvolvimento de software

Graças a um crescimento acelerado das novas tecnologias e a necessidade pulsante de profissionais que saibam desenvolver para elas, saber programar está entre uma das habilidades mais procuradas hoje em dia por empresas em todo o mundo. A demanda por esse especialista se destaca com 48% das vagas destinadas a desenvolvimento web, seguidas por desenvolvedores front-end (32%) e back-end (16%). Leia Mais

Na contramão: Em mundo repleto de robôs, fabricantes de carros contratam mais humanos

fabricantes de carros ainda contratam mais humanos

Os funcionários do setor automotivo que temem que robôs vão deixá-los sem emprego não precisam se preocupar — pelo menos por enquanto. Das 13 fabricantes de veículos de capital aberto com pelo menos 100 mil trabalhadores, no encerramento de seu ano fiscal mais recente, 11 tinham mais funcionários que no fim de 2013, segundo dados compilados pela Bloomberg. Combinadas, elas tinham 3,1 milhões de funcionários, 11% a mais do que quatro anos antes, mostram os dados.

Fabricantes de veículos na China e em outros mercados emergentes, onde o crescimento é mais forte, preferem a mão de obra humana porque ela exige menos investimento inicial, disse Steve Man, analista da Bloomberg Intelligence, em Hong Kong. Nos mercados desenvolvidos, as tarefas que podem ser feitas por robôs já foram automatizadas há anos e, agora, as fabricantes estão aumentando as contratações para pesquisa e desenvolvimento à medida que o setor evolui. Leia Mais

Mão de obra 4.0, você está preparado?

Mão de obra 4.0

A adoção do teletrabalho cresceu de 2% para 40%, segundo estudo recentemente divulgado pela OIT. A estimativa é de que no futuro o escritório físico será parte da história da humanidade, mudando radicalmente a forma de fazer negócios. O novo modelo de trabalho também abre uma porta para outras mudanças não só nos negócios, como também na cultura.

Esse cenário levanta múltiplas questões. Como fica, por exemplo, a empregabilidade no setor? Como será a adaptação das empresas e dos times frente à esse novo desafio?

A digitalização do processo produtivo deve atingir 21,8% das indústrias brasileiras em uma década, de acordo com pesquisa divulgada, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Atualmente, o percentual é de 1,6%. Leia Mais

10 Maneiras de Como Ganhar Dinheiro na Internet

10 Maneiras de Como Ganhar Dinheiro na Internet

Seja qual for o motivo que você queira ganhar dinheiro na internet, a internet tem diferentes maneiras para você ganhar dinheiro. Entretanto, ao mesmo tempo em que conseguir ganhar dinheiro online pode ser bastante lucrativo, também existem vários métodos ineficazes por aí.

Mas não se preocupe: o objetivo deste conteúdo é ajudar que você não caia nessas armadilhas. Como? Abaixo você vai encontrar as 10 maneiras de como ganhar dinheiro na internet que realmente funcionam.

Algumas delas incluem a criação de um blog pessoal, um site de negócios e até uma loja virtual para venda de produtos pela internet. Já em outras você vai encontrar formas de construir uma audiência própria em plataforma já existentes. Leia Mais

Natura procura empreendedores para ganhar R$ 7 mil por mês

Natura procura empreendedores para ganhar R$ 7 mil por mês

Com novos modelos de negócios emergindo a todo momento, surgiu uma necessidade de a Natura se reinventar. É o que diz Flávio Pesiguelo, vice-presidente de Pessoas, Cultura e Organização da empresa. Diante de uma demanda cada vez maior por soluções inovadoras, a empresa resolveu criar o CorageNatura, um programa com duração de 20 meses e que recrutará 20 empreendedores para formar um grupo dedicado a projetos de inovação e rápida implementação para a Natura.

“Sentimos a necessidade de um núcleo de pessoas com foco e vocação para olhar para o futuro e questionar os padrões atuais”, diz Pesiguelo. “Queremos pessoas com um olhar mais disuptivo, mais inovador, que entendendo profundamente o negócio da empresa, possa dizer o que nós não estamos vendo”. Leia Mais

Quer imigrar? Conheça os profissionais mais buscados

profissionais no canadá

O Canadá é um dos principais destinos de intercâmbio estudantil e profissional para brasileiros. De acordo com a Agência Canadense de Imigração, Refúgio e Cidadania, 92,4 mil brasileiros pediram autorização para residir temporariamente no país entre janeiro e setembro de 2016.

A entidade aponta também que os brasileiros são a quarta nacionalidade que mais solicita permissão para moradia temporária ou para imigração permanente.

A boa notícia é que o Canadá oferece boas oportunidades de emprego para brasileiros. E entre as profissões em alta estão: contador, representante de vendas, engenheiro, analista de negócios e de recursos humanos e gerente de tecnologia da informação. Leia Mais

Trabalhar demais prejudica a carreira?

Trabalhar demais prejudica a carreira

Achar o equilíbrio entre a vida profissional e pessoal é difícil – e, em muitos casos, a balança pesa mais para a primeira opção. Essa realidade, vivida por um número cada vez maior de trabalhadores, tem motivado iniciativas para reduzir a jornada de trabalho, como na Nova Zelândia, ou para conceder mais horas de descanso, como no Japão. Fazem isso pelo bem estar do funcionário e também da produtividade do país. Um estudo recente publicado pela City University of London dá suporte a essa decisão.

A conclusão da pesquisa, divulgada pelo Fórum Econômico Mundial, é simples: o trabalho duro nem sempre renderá recompensas. Foram analisados microdados de quase 52 mil funcionários, em 38 países europeus, entre 2010 e 2015. Os pesquisadores concluíram que o excesso de trabalho pode prejudicar não apenas as suas perspectivas de carreira, como também a sua saúde. Leia Mais

Latam demite 1,2 mil funcionários após terceirização

Latam demite 1,2 mil funcionários após terceirização

A Latam Airlines Brasil informa que está reduzindo seu quadro de colaboradores nos aeroportos de Guarulhos, em São Paulo, e do Galeão, no Rio de Janeiro em razão da transferência de toda a sua operação de rampa e limpeza (ground handling), gestão de equipamentos de solo (GSE) e atendimento a clientes com bagagens perdidas ou danificadas (Lost Luggage) para uma empresa terceirizada, a Orbital – WFS, empresa especialista nesta modalidade de serviços aeroportuários.

Segundo informações do Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos (Sindigru) foram 850 demissões em São Paulo. O número foi confirmado pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil (Fentac), que informa ainda outras 350 baixas no aeroporto no Rio de Janeiro. Procurada, a Latam não divulgou o número exato de demitidos, justificando que alguns colaboradores serão realocados. Leia Mais

Bancos com mais mulheres na diretoria são mais rentáveis

Bancos com mais mulheres na diretoria são mais rentáveis

Estudos já confirmaram que a diversidade no ambiente de trabalho traz resultados financeiros positivos para as empresas. Se você ainda não acredita nisso, uma nova pesquisa publicada pelo Banco da Inglaterra sugere que quando há mais mulheres na diretoria, os bancos são mais rentáveis. No estudo, as economistas Ann Owen e Judit Temesvary demonstram que há uma relação entre igualdade de gênero e resultado financeiro. No entanto, isso só acontece se a instituição já tem políticas de igualdade – ou seja, pouco adiantaria se um banco até então dominado por homens colocasse mulheres na diretoria sem fazer nenhuma alteração na cultura da empresa.
Leia Mais

Está desempregado? 30 novas profissões vão surgir com a indústria 4.0

Está desempregado? 30 novas profissões vão surgir com a indústria 4.0

Novas profissões como engenheiro de cibersegurança ou de fibras têxteis, mecânico de veículos híbridos, técnico em impressão de alimentos e operador de máquina high speed estão entre as profissões que irão despontar no mercado nos próximos cinco anos. Algumas delas podem demorar até 10 anos para se consolidar, mas a demanda já existe. A conclusão é de um levantamento realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).

O SENAI analisou de que forma as novas tecnologias — como realidade virtual, automação, internet das coisas e impressão 3D — estão influenciando a dinâmica de oito setores da indústria brasileira. São eles: automotivo, alimentos e bebidas, máquinas e ferramentas, tecnologia da informação e comunicação, construção civil, química e petroquímica, petróleo e gás e têxtil e vestuário. A partir daí, mapeou as profissões (de nível médio e superior) que vão ganhar relevância nos próximos anos, bem como aquelas que serão criadas a partir do uso de novas tecnologias e novos equipamentos. Leia Mais

Para 85% dos profissionais, reuniões remotas já oferecem experiência tão positiva quanto presenciais

Para 85% dos profissionais, reuniões remotas já oferecem experiência tão positiva quanto presenciais

Um estudo inédito encomendado pela Microsoft ao IBOPE Conecta revela que para 85% dos profissionais brasileiros a experiência de realizar uma reunião remotamente já não deixa nada a desejar em relação a encontros presenciais. Segundo a pesquisa, realizada com internautas, profissionais que têm entre 25 e 34 anos são os que mais fazem reuniões à distância (52%). Na análise geral, 47% dos respondentes dizem participar de reuniões de trabalho remotamente.

Com o objetivo de analisar a percepção do internauta brasileiro em relação à transformação do ambiente de trabalho a partir do uso de novas tecnologias, o estudo ouviu durante os meses de maio e junho 1.500 profissionais de diferentes níveis hierárquicos, mercados e profissões. Foram entrevistados homens e mulheres, de 18 a 55 anos, das classes ABC, que trabalham no setor público e privado, em todas as regiões do país. Os dados foram divulgados hoje, em evento realizado em um dos escritórios da WeWork em São Paulo. Leia Mais

Aprenda como usar o LinkedIn para conseguir emprego

Aprenda como usar o LinkedIn para conseguir emprego

O LinkedIn é uma rede social fundada em maio de 2003. Apesar da característica específica de ser mais voltado para os negócios, uma vez sendo uma rede social, é preciso ter em mente que, no LinkedIn, assim como no Facebook, interagir com outros usuários é imprescindível.

Não se trata somente de ter muitas conexões, como são chamadas as “amizades”dessa rede, mas de produzir engajamento a partir da dessas e outras conexões. Exemplos disso são postagens que podem ser feitas no perfil para estimular a interação com os usuários (por compartilhamento, curtidas, comentários) e também fazer o mesmo com as publicações de outras pessoas, desde que, claro, tenha um interesse real no assunto tratado.

Em um processo seletivo, não só essas interações são importantes, mas também manter o perfil no LinkedIn completo e atualizado são características diferenciais, já que aumentam as chances de a página pessoal na rede social ser bem recomendada pelo próprio LinkedIn e, assim, atrair o interesse de recrutadores. Leia Mais

Apple, Google e IBM não exigem mais diploma universitário dos funcionários

Apple, Google e IBM não exigem mais diploma universitário dos funcionários

As gigantes de tecnologias Google, Apple e IBM estão entre algumas das empresas que não exigem mais um diploma universitário para os seus funcionários, conforme aponta um levantamento recente do site de empregos Glassdoor.

O novo estudo da plataforma profissional, publicado no último dia 14 de agosto, traz uma relação com um total de 15 companhias que não exigem mais formação universitária dos candidatos para as suas vagas de empregos.

“Com o preço das faculdades subindo em todo o país, muitos americanos não possuem o tempo ou dinheiro para tirar um diploma universitário. No entanto, isso não significa que as suas possibilidades de trabalho ficaram menores. Cada vez mais, existem muitas empresas oferecendo vagas com bons salários para quem possui educação não tradicional ou um diploma do colegial”, afirma o texto no site do Glassdoor. Leia Mais

As mulheres na aviação brasileira

As mulheres na aviação brasileira

Aos aos 17 anos no Brasil, você não pode dirigir um carro, mas você pode pilotar um avião ou helicóptero. Foi isso que meu pai me disse quando eu pedi para tirar carteira de motorista”, diz a comandante Clarissa Canedo. “Eu tinha 15 anos quando vi um avião pela primeira vez no aeroporto de Curitiba. Foi ali que pensei: quero ser piloto. Só não sabia ainda o quanto essa vontade iria me custar”, conta a copilota Tatiane Martins. “Em um dos meus primeiros voos na aviação comercial, após uma longa e custosa trajetória, fiz meu discurso de boas vindas feliz. Um passageiro se levantou e pediu para desembarcar. Ele não queria voar com uma mulher”, afirma a comandante Paula Babinski.

A história destas três mulheres carrega particularidades, mas têm em comum o mesmo desafio: tornar-se pilota no competitivo e, principalmente, masculino mundo da aviação brasileira. Clarissa, Tatiane e Paula contaram ter sido as únicas em suas respectivas turmas de seus cursos de piloto. O caminho de cada uma foi diferente, mas sempre desafiador. Clarissa achava que só “era piloto quem era filho de um”; Tatiane formou-se comissária e “economizou por dez anos para bancar os cursos de instrução de voo”; e Paula enfrentou o descontentamento dentro de casa. “Minha mãe não queria que eu largasse o curso de administração e dizia que não criou filha para ser motorista dos outros.” Já formada, Paula ouviu de um colega na comunicação com o controle aéreo: “vai pilotar fogão”. Leia Mais

Baixar filmes no trabalho dá demissão por justa causa?

Baixar filmes no trabalho dá demissão por justa causa

Uma decisão judicial determinou que o download de filmes ilegais no ambiente de trabalho enseja a demissão por justa causa.

O caso foi julgado no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, em São Paulo, e diz respeito a um trabalhador que baixou filmes usando a internet da empresa. Duas produtoras de filmes americanas notificaram a empresa, que rastreou o IP do computador e identificou o funcionário.

O ex-empregado levou o notebook para a empresa e fez o download por meio de um aplicativo que usava em casa. Ele alegou que foi ato involuntário, mas como foi advertido duas vezes, foi dispensado por justa causa.

Buscando reverter a demissão, entrou com ação trabalhista. A juíza da 46ª Vara do Trabalho, Rogéria Amaral, sentenciou sua ação como improcedente, e ele recorreu.

O TRT-2 julgou da mesma forma e foi unânime ao determinar a ilegalidade. O relatório da magistrada Beatriz Helena Miguel Jiacomini diz que o funcionário “tinha conhecimento da gravidade do ato que praticou”. Leia Mais

Tecnologia avança, mas vagas de baixa qualificação predominam

Tecnologia avança, mas vagas de baixa qualificação predominam

Entre as 1.700 carreiras que encolheram no ciclo recessivo, está a de digitador. O declínio da profissão começou em meados da década passada e tem ganhado fôlego, o que culminou na eliminação de 5.888 vagas com carteira assinada de 2014 a 2016, ano mais recente para o qual há dados disponíveis.

As atividades desempenhadas por trabalhadores dessas duas ocupações têm sido afetadas por novas tecnologias, mas em direções opostas.

Os analistas de pesquisa de mercado atuam no planejamento estratégico das empresas. Usam ferramentas digitais para processar e examinar vasta quantidade de dados.

Já os digitadores são responsáveis por registrar e transcrever informações manualmente. A crescente digitalização de documentos e a difusão de equipamentos como scanners têm tornado esses profissionais obsoletos.

As tendências distintas de demanda por analistas e digitadores indicam que as transformações causadas pelas inovações das últimas décadas respingam no Brasil. São mudanças incipientes que estão longe de mudar a estrutura do mercado de trabalho do país, ainda dominado pelo emprego pouco qualificado. Leia Mais

Monitoramento dos dados de funcionários pelas empresas está mudando o mercado de trabalho

Uso dados de funcionários pelas empresas está mudando o mercado de trabalho

Todos estamos sendo avaliados todos os dias. As passagens caras de avião que eu comprei recentemente já entraram na minha avaliação de crédito. O fato de que eu parei de correr todas as manhãs foi percebido pelo meu aplicativo de exercícios – e, se estivesse conectado com uma companhia de seguros, essa mudança poderia influenciar nos preços.

Pelas minhas atividades online, o Facebook sabe que eu amo cerveja e acredita que a minha tela é um bom lugar para colocar publicidade de cervejarias hipsters. Um site recentemente afirmou que eu sou o 1.410° usuário de Twitter mais influente da Colômbia – algo que poderia aumentar minha pontuação de crédito, aparentemente. E, sim, minha eficiência como funcionário também pode ser avaliada e determinada por um número.

E não estamos apenas falando de serviços avulsos. Um sistema de pontos foi incorporado ao mundo corporativo.

Departamentos de recursos humanos estão lidando com volumes cada vez maiores de informações para avaliar funcionários de uma forma mais meticulosa. Desde softwares que gravam cada registro nos teclados até máquinas de café tecnológicas que só lhe darão um café se você usar seu crachá. Há mais oportunidades do que nunca para chefes acompanharem comportamentos. Alguns analistas acreditam que essa indústria valerá mais de um bilhão de dólares (RS$ 3,68 bilhões) até 2022. Leia Mais

Entenda como é trabalhar em startup no Brasil

Entenda como é trabalhar em startups no Brasil

A produtora Smarty Talks lança no Instagram nesta quinta-feira (02/08), o documentário “Emprego dos Sonhos. Ou Não! (Startups)”. Com 16 episódios de um minuto cada, a produção tem o objetivo de ampliar o debate acerca de uma polêmica planilha compartilhada em maio no Google Drive e cujo título resumia um pouco do que buscava explorar. O documento “Como é trabalhar em uma startup” reúne depoimentos anônimos de funcionários de startups sobre os bastidores dessas empresas no Brasil.

As declarações coletadas para o documentário trazem à tona questões discutidas no documento, como baixos salários, assédio moral e sexual, problemas de gestão, entre outros.

Segundo Diego Monteiro, sócio da produtora e idealizador do projeto, o filme contribui para desmistificar o senso comum em torno do ambiente de trabalho nas startups. “Queremos mostrar os dois lados da relação entre empregado e startups, discutindo um pouco como é trabalhar neste mercado. Com os depoimentos, trouxemos uma visão conciliatória da discussão que consta nesta planilha, mostrando como lidar com a situação. Nosso propósito é deixar o registro para que todos os profissionais do segmento possam debater mais sobre o assunto e tomar decisões”, pontua.

O CEO da RankMyApp, Leandro Scalise, em um dos depoimentos do filme, conta que, nos últimos quatro anos, a mídia jogou a expectativa das startups lá para cima, e, “as próprias startups quiseram vender o conceito de que tudo é uma maravilha”. Para ele, a questão salarial, reclamação recorrente na planilha, também tem seus contrapontos. “Uma startup geralmente não consegue competir com o salário de uma grande empresa. Então, ela precisa competir de outras formas, talvez com um plano de carreira acelerado, que é o que a gente faz”, revela. Leia Mais

Conheça as melhores formas de ganhar dinheiro com tecnologia

Conheça as melhores formas de ganhar dinheiro com tecnologia

A constante evolução da TI traz novas oportunidades de negócio. Já existem muitas empresas explorando as mais novas atividades, porém, sempre há espaço para produtos e serviços mais elaborados e diferenciados. Uma boa chave para entrar nesse mercado concorrido é oferecer produtos e serviços sob medida para as necessidades de cada cliente.

As opções abaixo estão entre as melhores formas de obter sucesso em TI. Acompanhe.

A Tecnologia da Informação confere um patamar diferenciado aos seus profissionais:

  • Permite uma excelente gama de possibilidades de lucratividade
  • É um trabalho limpo e seguro
  • É uma atividade bem valorizada junto à sociedade
  • Algumas áreas possuem baixa curva de aprendizado e permitem ascender rapidamente
  • Amplo espectro de atuação e atividade através do Mercado Remoto Global
  • Conforme a sua criatividade, seu conhecimento é facilmente direcionado para áreas afins lucrativas.

Com o impacto dos mercados financeiros e da economia mundial, as empresas precisam maximizar o retorno de seus investimentos e a mão de obra especializada dos BRICS (países emergentes) são as de melhor custo benefício.

A melhor via para conquistar este nível de atuação são através dos sites internacionais que oferecem trabalhos free-lancer e que se baseiam no conceito de crowdsourcing (a ideia de que a multidão de internautas possui sempre uma melhor solução que pequenos grupos de trabalho de projetistas/Designers/programadores).Os profissionais de TI podem atuar internacionalmente, bastando, para isso, dominar as tecnologias em sua área de atuação e o idioma inglês.A exigência do idioma inglês para se dar bem nesse tipo de negócio é fator crítico para o sucesso. A maioria da comunicação tende a ocorrer de forma escrita, bem mais tranquilo para o pessoal técnico. São comuns os projetos executados em grupos remotos (através de tecnologias de controle de versionamento como o Git Hub), permitindo usufruir dos melhores ganhos de mercado e câmbios cada vez mais favorável. Leia Mais

Alerta: Tecnologia pode ampliar desigualdade de renda

A recessão brasileira talvez tenha acelerado no país consequências do avanço da tecnologia que especialistas preveem como inevitáveis, como aumento da informalidade e do emprego autônomo.

Com o aumento da robotização, a expectativa é que muitas ocupações desapareçam e novas funções surjam. Ninguém sabe qual será o saldo disso. Mas evidências de países desenvolvidos indicam a emergência de uma polarização sem precedentes.

A tecnologia tem levado ao desaparecimento de tarefas rotineiras e repetitivas, como as administrativas. É o que alguns especialistas chamam de “esvaziamento do meio”.

Segundo esses estudiosos, vão sobrar –e surgir– empregos concentrados em dois extremos opostos. De um lado, estarão os postos muito especializados, de alto “teor” tecnológico, e, de outro, vagas de baixa qualificação.

No segundo grupo, ficarão profissionais que antes ocupavam o estrato intermediários e foram deslocados (inclusive para a informalidade).

Existe ainda a possibilidade do surgimento de um novo meio, povoado por profissionais deslocados de vagas tradicionais, que passam a realizar novas atividades qualificadas, porém de forma autônoma. Nesse caso, a tecnologia que elimina postos de um lado ajuda a criá-los de outro, ao facilitar, por exemplo, o trabalho remoto.

Olhando os dados gerais da Pnad contínua no ano passado, podemos até ficar com a impressão de que essas mudanças dessa natureza estão em curso no Brasil. Os números revelam, afinal, um encolhimento do emprego formal com expansão da informalidade e do trabalho chamado por conta própria. Leia Mais

Era dos robôs está chegando e milhões de empregos desaparecerão

Mercado de trabalho nunca mais será o mesmo com a indústria 4.0

Professor de economia chama a atenção para os avanços tecnológicos que alteram de modo radical as perspectivas do mercado de trabalho. Empregos serão extintos em diversos setores, em um processo que afeta todas as classes.

Em breve um robô vai lhe entregar a pizza de domingo. Talvez seu condomínio não exija que você desça até a portaria para apanhá-la, pois não vão suspeitar que possa ser um assalto. Na Alemanha, esse serviço já está funcionando —e a pizzaria é uma rede que atua no Brasil.

Mas isso é pouco: logo essa pizza será resultado de um processo totalmente automatizado. Se você acha que esse cenário pertence à ficção, ou que vai demorar muitos anos até ele se tornar realidade, pesquise sobre a americana Zume Pizza. Situada no Vale do Silício, a casa entrega comida feita por robôs. E o pior é que os consumidores da Califórnia têm adorado a novidade.

Pior por quê? Porque é enorme a quantidade de empregos que será eliminada. Alguns poderão afirmar que esses postos de trabalho demandam baixa qualificação e que o importante é aumentar a produtividade ——no caso, a das pizzarias.

O argumento perde metade de sua força quando se sabe que, na mesma Califórnia da pizza robotizada, quem se envolve em problemas de trânsito não depende mais de advogados para apresentar recursos. Um dos maiores fabricantes de computadores criou um robô, baseado em inteligência artificial, capaz de elaborar petições para quem quiser recorrer de uma multa, por exemplo. O interessado não precisa dar um único telefonema, nem para o despachante, nem para o defensor. Leia Mais

4 conselhos para tirar o melhor proveito do networking

Mais do que comum, é até óbvio ouvirmos conselhos de especialistas ou colegas sobre a importância de se construir uma rede de relacionamento profissional. No entanto, muitos profissionais ainda encontram dificuldades em criar vínculos duradouros com as demais pessoas do mercado. Para tentar resolver tal problema de forma eficaz, reunimos uma lista com quatro conselhos de líderes de TI.

1. Não passe despercebido

No que tange ao mundo corporativo, evite simplesmente frequentar os eventos sociais e bater papo com alguns antigos colegas. É preciso fazer-se notar, seja por meio de um discurso ou pela apresentação de bons argumentos em discussões informais – mas que atraem a atenção de todos os presentes.

2. Conheça investidores

Procure a rede que está investindo nas empresas que fornecem as soluções para seu negócio e pergunte como pode ajudá-los em algo ou manter contato com as empresas daquele portfólio.

Os investidores certamente apreciarão a atitude do executivo e podem, até, convidá-lo para fazer parte de algum tipo de conselho.

Além de prestígio na própria companhia – por fazer parte de um grupo que lida com ações e mostrar habilidades e interesses interdisciplinares –, o gestor estabelecerá ótimos contatos. Leia Mais

Conheça as 5 dicas para afiar seu inglês

Que o inglês faz bastante diferença no currículo profissional das pessoas não há dúvidas. Estudo realizado por Cambridge English Language Assessment, departamento da Universidade de Cambridge responsável por avaliações de proficiência da língua inglesa e formação de professores, e pela QS Intelligence Unit, que atua com coleta de dados do mercado empregador e de educação, aponta que 95% dos empregadores de países não nativos do idioma o consideram importante e o reconhecem como a língua dos negócios.

No Brasil, esse é um aspecto que ainda precisa melhorar. Apenas 78% dos gestores da alta liderança têm o domínio necessário de inglês para ter sucesso em seus trabalhos. E, de acordo com a pesquisa, para as empresas que operam no País, a habilidade mais valorizada é a expressão oral (com 43,5% dos entrevistados), seguido de perto pela leitura (com 35%).

Para afiar o idioma e ficar na mira dos recrutadores, Alberto Costa, senior assessment manager de Cambridge English no Brasil e Vinícius Nobre, gerente acadêmico da Cultura Inglesa, listam cinco conselhos:

1. Ouça e leie simultaneamente

Para uma boa pronúncia e segurança na conversação é necessário que primeiro aconteça a identificação e associação da palavra escrita com sua pronúncia e entonação quando combinada em uma frase. Nesse sentido, uma dica é, por exemplo, ler a letra de uma música enquanto a canta. E, para que o desenvolvimento esteja relacionado à atividade profissional, uma opção é procurar por livros bilíngues que vêm acompanhados de arquivos de áudio e são ótimas fontes de vocabulário. Leia Mais

Por que pedimos demissão?

Por que pedimos demissão
Olhe para as pessoas ao seu redor ou para seu grupo de amigos e familiares – quantos deles estão realmente felizes com seus trabalhos? Eu quero dizer, REALMENTE felizes, motivados, inspirados, com brilho nos olhos, e não simplesmente “acomodados” porque as vantagens daquele trabalho acabam compensando de uma forma ou de outra. Eu conheço pouquíssimas pessoas, e poderia contá-las nos dedos. E cada dia mais as pessoas parecem estar despertando para o fato de que trabalhar fazendo algo que não traz felicidade pode ser um dos maiores arrependimentos da vida.

Se você está lendo esse texto, provavelmente não está 100% feliz com o seu trabalho. Você gostaria de estar fazendo outra coisa, que tivesse mais a ver com você, e que te trouxesse mais realização, mas não sabe muito bem por onde começar. Ou gostaria de criar uma empresa, ou projeto, mas não sabe bem se seria uma decisão sábia largar a carteira assinada. Ou simplesmente se vê perdido no meio de tantas opções, que acaba ficando com a mais segura mesmo que ela seja entediante. Se você se identificou com esses itens, esse texto é para você. Se a vontade de pedir demissão martela na sua cabeça há tempos, mas você nunca teve coragem de tomar uma atitude a respeito, eis 10 motivos para te encorajar nesse passo que pode mudar a sua vida (pra melhor!) pra sempre. Leia Mais

Os 10 cargos de TI que serão destaque em 2018

Os 10 cargos de TI que serão destaque em 2018

Dados divulgados no estudo anual IDC Predictions mostram que a tendência é de que o mercado de TI melhore no Brasil durante o primeiro semestre de 2018 e que a área avance 5,8% ao longo do ano.

A projeção é de que a transformação digital continue a acontecer nas empresas, motivando mudanças nas estrutururas das organizações. Além disso, também devem estar em alta as vendas de smartphones e tablets para o setor corporativo, avanço da internet das coisas no ambiente doméstico, blockchain (a tecnologia por trás do bitcoin), big data e analytics, nuvem pública e segurança da informação.

Tudo isso impacta o mercado de trabalho e, segundo o headhunter especializado em tecnologia Paulo Exel, a curva de crescimento e de demanda por profissionais de TI só tende a aumentar nos próximos anos.

Confira 10 cargos na área de TI que serão destaque ao longo de 2018, de acordo com Exel: Leia Mais