Apple aumenta os preços do iCloud no Brasil

Apple aumenta os preços do iCloud no Brasil; confira os novos valores

O iCloud é o armazenamento na nuvem da Apple, que mantém fotos, vídeos, mensagens e outros tipos de arquivos salvos e disponíveis em outros dispositivos da empresa. Neste final de semana, a Apple começou a informar seus clientes sobre um novo reajuste no preço do serviço no país, que passará a valer a partir de dezembro.

Via email, a empresa está avisando quem possui um plano de armazenamento de dados extra no iCloud sobre o reajuste. Leia Mais

Entenda por que a Apple não se importa se você acha o iPhone muito caro

Entenda por que a Apple não se importa se você acha o iPhone muito caro

Todo mundo sabe que a Apple faz produtos caros. É parte da estratégia da empresa desde sempre, e o problema não é só aqui no Brasil, onde os custos são exacerbados; as reclamações sobre os preços praticados pela companhia são globais.

Recentemente, no entanto, os preços da empresa deram uma disparada. A transição começou de 2016 para 2017, quando o iPhone mais barato passou de US$ 650 para US$ 700. De 2017 para 2018, o valor subiu para US$ 750, com a chegada do iPhone XR. Já em 2017, o iPhone mais caro chegou à casa dos US$ 1.150, e em 2018 o preço máximo bateu na casa dos US$ 1.450. A curva ascendente é óbvia, e também pode ser vista no Brasil de forma mais acentuada, especialmente devido à crise enfrentada no país, o que nos permitiu chegar à gloriosa marca de um modelo de iPhone custando R$ 10 mil. Leia Mais

Apple anuncia novo MacBook Air e atualização do iPad Pro, que custa até R$ 15,6 mil

Apple anuncia novo MacBook Air e atualização do iPad Pro, que custa até R$ 15,6 mil

Em um evento realizado na manhã de hoje (30/10) em Nova York, a Apple anunciou novos produtos. Entre as novidades estão a nova versão do notebook levinho MacBook Air, um novo Mac Mini e novo iPad. Abaixo, as principais novidades mostradas pela Apple hoje.

Uma mudança radical de design e experiência chegou ao iPad Pro. Desde a primeira versão, a Apple sempre usou um botão na porção frontal da tela de seus tablets. Mas isso acaba de mudar — assim como aconteceu com a chegada do iPhone X. O novo iPad Pro não traz qualquer botão na frente, e as bordas pretas que rodeiam a tela diminuíram. O tablet ganhou Face ID, tecnologia da Apple que reconhece o rosto do usuário para permitir acesso ao gadget, substituindo o leitor de digitais. Com início das vendas para o dia 7 de novembro nos Estados Unidos, o novo iPad Pro terá telas de 11 ou 12,9 polegadas. Leia Mais

Apple e Samsung recebem multa milionária por deixar celulares mais lentos

Apple e Samsung recebem multa milionária por deixar celulares mais lentos

A Apple e a Samsung foram multadas, cada uma, em 5 milhões de euros (mais de R$ 21 milhões em conversão direta) por um órgão de defesa do consumidor na Itália. As duas empresas são acusadas de deixar smartphones mais lentos de propósito por meio de updates.

Segundo a agência Reuters, a Apple recebeu uma multa adicional de mais 5 milhões de euros, levando o total a ser pago a 10 milhões, por “não ter dado a clientes informações claras sobre como manter ou eventualmente substituir baterias” de iPhones.

O caso da Apple não é novidade. Em 2017, a empresa admitiu que estava deixando iPhones antigos mais lentos de propósito. Leia Mais

A Apple adquire importante tecnologia para iPhone

A Apple adquire importante tecnologia para iPhone

A Apple está comprando tecnologia de gerenciamento de energia crucial para seus iPhones em um acordo de US$ 600 milhões (R$ 2,25 bilhões) com a Dialog Semiconductor , que por sua vez garantirá seu papel como fornecedora da gigante americana.

O acordo para adquirir patentes e pessoal da designer anglo-alemã de chips não é apenas atípico, mas marca o maior do tipo já assinado pela Apple, cuja última aquisição considerável foi a compra da criadora do Face ID, PrimeSense, por US$ 350 milhões (R$ 1,31 bilhão), em 2013.

As ações da Dialog subiram até 34% nesta quinta-feira, maior avanço desde 2002, conforme o acordo dá à empresa tempo para reduzir sua dependência da Apple, que deve responder por 75% das vendas neste ano.

Leia Mais

Apple diz ao Congresso que não encontrou sinais de invasão hacker da China

Apple diz ao Congresso que não encontrou sinais de invasão hacker da China

O vice-presidente para segurança da informação da Apple disse ao Congresso dos Estados Unidos que não encontrou sinais de transmissões suspeitas ou outra evidência de que tenha sofrido um ataque sofisticado em sua cadeia de fornecimento.

George Stathakopoulos escreveu aos comitês de comércio do Senado e da Câmara dos Deputados que a empresa repetidamente investigou e não encontrou evidência para os principais pontos relatados numa reportagem da Bloomberg publicada quinta-feira (4), afirmando que chips dentro de servidores vendidos para a Apple pela Super Micro Computer permitiram portas de saída para transmissões para a China.

“As ferramentas de segurança proprietárias da Apple são continuamente escaneadas para esse tipo de tráfego de saída, conforme indique a existência de malware ou de outra atividade maliciosa. Nada foi encontrado”, escreveu ele na carta. Leia Mais

Apple ainda é a marca mais valiosa no mundo

Apple ainda é a marca mais valiosa no mundo

Mais uma vez, a Apple é dona da marca mais valiosa no mundo, conforme a nova edição do levantamento Best Global Brands 2018. Realizado pela Interbrand, o estudo leva em conta fatores como força da marca e desempenho financeiro das empresas para designar um valor para suas marcas.

Vale lembrar que a fabricante do iPhone e dos Macs tornou-se recentemente a primeira empresa dos EUA a atingir um valor de mercado de 1 trilhão de dólares.

Com um valor estimado em 214 bilhões de dólares no ranking da Interbrand, a Apple aparece à frente de outras duas gigantes do setor de tecnologia, Google e Amazon, que aparecem, respectivamente, na segunda e terceira colocações, com valores estimados em 155 bilhões de dólares e 100 bilhões de dólares. Leia Mais

China espionou Amazon e Apple com microchips de vigilância, diz Bloomberg

China espionou Amazon e Apple com microchips de vigilância, diz Bloomberg

A China secretamente inseriu microchips de vigilância em servidores usados por grandes empresas de tecnologia, entre as quais Amazon e Apple, em uma audaciosa operação militar que deve inflamar ainda mais as tensões comerciais entre os Estados Unidos e o pais que lhe serve como principal fonte de componentes e produtos eletrônicos, noticiou a revista Bloomberg Businessweek na manhã de quinta-feira (4).

O artigo detalha um esforço abrangente, com anos de duração, para instalar os chips de vigilância em servidores cujas placas-mãe –os cérebros desses poderosos computadores –foram montadas na China. Uma das empresas afetadas opera servidores usados por clientes do governo americano, por exemplo em data centers do Departamento de Defesa, navios de guerra da marinha, e nas operações de drones [aeronaves de pilotagem remota] da Agência Central de Inteligência (CIA). Leia Mais

O que aprendi com Steve Jobs xingando o meu trabalho

O que aprendi com Steve Jobs xingando o meu trabalho

Imagine que seu chefe tivesse dito na sua cara que seu projeto não passava de “cocô de cachorro”. Imagine, em seguida, que esse chefe fosse Steve Jobs.

Foi o que me aconteceu quando eu trabalhava como principal engenheiro de software do iPhone, nos anos dourados da Apple.

Qual era a maneira certa de reagir? Teria sido má ideia concordar com Steve Jobs, o que despertaria a questão de por que eu estava lhe oferecendo trabalho inferior.

Discordar tampouco teria ajudado, a menos que eu estivesse disposto a entrar em uma discussão imediata com um presidente-executivo famoso pelo pavio curto —e naquele momento eu não estava.

Por sorte, o comentário rude dele não foi o primeiro de uma sequência. Foi só uma declaração, e por isso fiquei lá e ouvi sem responder. Leia Mais

Apple x Amazon: quem será o vencedor?

Apple x Amazon: quem será o vencedor

No início de setembro, o valor de mercado da Amazon passou brevemente de US$ 1 trilhão, apenas um mês depois de a Apple ter se tornado a primeira empresa de capital aberto do mundo a conquistar esse mesmo feito. Ambas empresas de tecnologia cresceram nos últimos anos, mas até quando esse crescimento vai manter o ritmo?

Apple e Amazon são profundamente diferentes entre si.

A primeira é uma empresa de tecnologia que também dita moda no mercado de consumo. Seus dispositivos muitas vezes se tornam gadgets cobiçados, e parte dos consumidores se dispõe a pagar bem mais por eles do que pelos produtos concorrentes.

Já a Amazon, por sua vez, é acessada por consumidores que querem comprar produtos mais baratos, com mais facilidade ou com mais rapidez.

Desde que o primeiro iPhone começou a ser vendido, em 2007, as ações da Apple subiram 1100% e cresceram em quase um terço de seu valor no ano passado. Leia Mais

Apple: primeiro os iPhones mais caros

Apple: primeiro os iPhones mais caros

Pelo segundo ano consecutivo, a Apple vai começar a vender seus novos modelos de iPhone em momentos diferentes –mas desta vez, os modelos mais caros chegarão primeiro ao mercado.

No ano passado, o lançamento do iPhone X, o modelo de topo de linha da empresa, veio seis semanas depois que a Apple lançou dois modelos novos de preço mais baixo, por conta do que o The Wall Street Journal e outras publicações descreveram como atrasos de produção envolvendo sua avançada tela OLED (diodo orgânico emissor de luz).

Este ano, de acordo com pessoas familiarizadas com os planos de produção da Apple, a empresa priorizou a produção de seus dois modelos mais caros com telas OLED, o iPhone XS e o iPhone XS Max, cujos preços começam em cerca de US$ 1 mil (R$ 4.130). Os dois chegarão às lojas na quarta-feira, seguidos cinco semanas mais tarde pelo modelo novo menos dispendioso, o XR, com tela LCD e preço inicial de US$ 749 (R$ 3.093). Leia Mais

Apple liberou o iOS 12

Apple liberou o iOS 12

O iOS 12 finalmente está disponível para os usuários de iPhone, iPad e iPod Touch. A atualização traz novidades como os MeMojis, monitoramento de tempo gasto em aplicativos, atalhos da assistente pessoal Siri, entre outras coisas. Além do sistema operacional de celulares, a Apple liberou também o watchOS 5 para relógios e updates para o tvOS e HomePod.

Para baixar o iOS 12, tudo o que o usuário precisa fazer é acessar os Ajustes do telefone e tocar na guia Geral. Em seguida, basta selecionar “Atualização de Software” e esperar até que o sistema procure pelo update. Ao encontrar, basta tocar para baixar e instalar. O telefone será reiniciado no processo, sendo necessário salvar tudo e se certificar que a bateria está carregada. Leia Mais

Apple deixa de vender iPhone X no Brasil

Apple deixa de vender iPhone X no Brasi

A Apple descontinuou a produção do iPhone X cerca de um ano após o lançamento do smartphone. No Brasil, a loja online da Apple já não exibe mais a opção de comprar o modelo de 2017. Os três novos iPhones – XS, XS Max e XR – já constam no site e há a informação que chegarão “em breve” por aqui, sem, entretanto, informar seus respectivos valores. Além do modelo que chegou a custar 7 mil reais no Brasil, o iPhone SE e o iPhone 6 também não serão mais vendidos pela Apple no Brasil e em outros mercados como nos Estados Unidos.

A companhia não oficializou uma razão para descontinuar o iPhone X que fez suas concorrentes copiarem o infame entalhe na parte superior da tela. Apesar de rumores sugerirem que o modelo foi um fracasso de vendas, o resultado financeiro da Apple mostrou, na verdade, que o iPhone X vendeu bem. Segundo o CEO Tim Cook, a venda do smartphone “superou nossas expectativas e tem sido o nosso campeão de vendas a cada semana desde que começou a ser entregue em novembro”, disse o executivo em fevereiro deste ano. Leia Mais

Por que a Apple matou o iPhone X?

Fim do iPhone X

Durou pouco, em menos de um ano, a Apple matou o iPhone X, aquele que foi considerado o iPhone mais inovador, e que rapidamente se tornou sonho de consumo de muita gente.

Essa decisão marcou um movimento da Apple pouco usual, porém já visto antes. Em geral, a empresa mantém seus aparelhos antigos sendo vendidos, normalmente com descontos iniciais de US$ 100. A última vez que a empresa tinha tomado a decisão de matar um aparelho com apenas um ano foi com o iPhone 5. Ao lançar o iPhone 5S e o iPhone 5C em 2013, a empresa aposentou o seu antecessor.

Muita gente esperava que o iPhone X passasse por reposicionamento para colocar as mãos em um, mas não vai rolar: o iPhone X nasceu e morreu custando US$ 999. Leia Mais

Colocamos as mãos nos iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR

iPhone XS, iPhone XS Max e iPhone XR

Claro, há amplo estacionamento subterrâneo e comida grátis, mas a maior atração em qualquer evento de mídia da Apple é a chance de colocar suas mãos em novos produtos da fabricante mais de uma semana antes de serem colocados à venda para o público em geral. Eu estava lá no Apple Park na última quarta-feira (12/09) para ver – e usar – os últimos iPhones da Apple. Aqui está o que eu aprendi:

iPhone X, em todos os lugares

Um ano atrás, a Apple declarou o iPhone X o futuro do smartphone. Do ponto de vista de setembro de 2017, este é o futuro – e a maior história do evento dessa quarta-feira é que todos os novos iPhones da Apple fazem parte da família iPhone X. Cada um deles tem frente e verso em vidro, com telas de ponta a ponta e identificação facial (Facial iD). Se você comprar um iPhone modelo 2018, estará comprando um iPhone X – e virando da parte inferior da tela com o polegar para desbloquear, em vez de pressionar um botão inicial. Leia Mais

Apple Watch fará eletrocardiograma

Apple Watch fará eletrocardiograma

A Apple apresentou os lançamentos do ano de 2018. O evento aconteceu em Cupertino, na Califórnia (EUA). Os destaques foram o smartphone com a maior tela da história da marca e o aparelho com preço mais acessível.

Entretanto Tim Cook, CEO da Apple, abriu o evento com o novo Apple Watch, que está com a tela 30% maior, mais fino, e se chamará S4. O botão lateral foi refeito, e agora é possível girá-lo para rolar a tela. Segundo a Apple, o gadget está oito vezes mais rápido.

Um dos maiores destaques do novo sistema operacional (watchOS5) é o aplicativo ECG, que oferece um eletrocardiograma do usuário, por meio de um sensor de frequência cardíaca. Leia Mais

O próximo passo da Apple

Estamos entrando na 3ª era da Apple. Inicialmente uma companhia de computadores pessoais e hoje a trilionária fabricante do iPhone, a companhia está em busca da próxima grande novidade. As especulações quanto ao que ela poderia ser disparam a cada vez que um novo projeto dos laboratórios da empresa é revelado, seja um carro autônomo, um plano para serviços de saúde ou um óculos de realidade aumentada.

Embora os serviços vinculados ao iPhone sejam em si parte substancial e crescente da receita da Apple, ela continuará a necessitar de hardware para reter consumidores. Aposto que o futuro da Apple dependerá de um componente pequeno mas já próspero de sua carteira de produtos: os eletrônicos vestíveis.

Em sua conversa com analistas durante o mais recente anúncio de resultados da empresa, Tim Cook, o presidente-executivo da Apple, disse que o Apple Watch e os fones de ouvido AirPods geraram US$ 10 bilhões em receita nos quatro últimos trimestres. Leia Mais

Apple anuncia iPhone XS Max com tela de 6,5 polegadas

iPhone XS Max

A Apple anunciou oficialmente nesta quarta-feira, 12/9, os novos iPhones XS e XS Max, confirmando algumas informações vazadas na manhã de hoje pelo site da empresa. Enquanto o iPhone XS traz uma tela de 5,8 polegadas, mesmo tamanho do antecessor iPhone X, o XS Max possui um display de 6,5 polegadas, o maior já visto em um smartphone da Apple.

Segundo o CEO da Apple, Tim Cook, esses são “de longe os iPhones mais avançados que nós já criamos”. Entre as principais novidades está o processador A12 Bionic, que possui seis núcleos e é desenvolvido em um processo de 7 nanômetros.

Os novos iPhones trazem também um novo sistema de câmeras, com melhorias na abertura da lente telefoto e uma câmera frontal mais rápida. Enquanto as especificações continuam basicamente iguais, com sensores de 12MP, um dos destaques é uma funcionalidade chamada Smart HDR – basicamente, o modo tira várias fotos e as junta para produzir uma imagem de melhor qualidade. Leia Mais

Veja como assistir à apresentação dos novos iPhones nesta quarta-feira

Veja como assistir à apresentação dos iPhones Xs

Está chegando: o evento da Apple em que a companhia deve mostrar novos iPhones. Já sabemos que será nesta quarta-feira (12/09) às 14h (horário de Brasília) no auditório Steve Jobs (foto acima), mas desta vez a empresa de Cupertino vai possibilitar novas formas de assistir à conferência.

Uma das mudanças dessa vez é que o evento poderá ser visto via streaming no Twitter. A informação, obtida pelo TechCrunch, é uma novidade. Em seu perfil na rede, a Apple tem promovido um tuíte dizendo para as pessoas curtirem um post que a companhia vai mandar atualizações durante o evento. Quem se encher das atualizações, pode mandar um #stop para encerrar os updates. Leia Mais

Trump faz ações de fornecedores da Apple despencarem

Trump faz ações de fornecedores da Apple despencarem

Empresas que dependem da Apple para sustentar seus modelos de negócio tomaram um duro golpe nesta semana. Uma simples postagem de Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos, no Twitter, fez com que as ações de várias delas despencassem praticamente da noite para o dia.

Os EUA e a China estão em guerra comercial há alguns meses. O governo norte-americano tem colocado tarifas e impostos extras sobre produtos importados do país asiático, onde muitas das fornecedoras e fábricas de produtos da Apple, como o iPhone e o Apple Watch, ficam.

Assessores do presidente dos EUA disseram que, se o governo persistir nas taxas, é possível que isso gere impacto no preço final de produtos da Apple. A isto, Trump respondeu com um tweet direcionado à empresa: “há uma solução fácil em que haverá zero impostos e até um incentivo fiscal. Façam seus produtos nos Estados Unidos em vez da China”. Leia Mais

Oxi, Por que não existe antivírus para o iPhone?

Por que não existe antivírus para o iPhone

Quem já foi dono de um smartphone Android e de um iPhone deve ter percebido uma diferença entre as lojas de aplicativos de ambos os sistemas. Enquanto a loja do Google tem uma grande quantidade de aplicativos de antivírus para o smartphone, não é possível encontrar nenhum do tipo para iOS, o sistema móvel da Apple para iPhones e iPads.

Mas qual a razão por trás disso? Para sanar qualquer dúvida, a empresa russa de segurança digital Kaspersky publicou um texto em seu blog. Assinado pelo chefe de mobile da companhia, Victor Yablokov, o texto explica: “a Apple não permite qualquer aplicativo de antivírus em sua App Store”. A Apple argumenta que constrói seu sistema de forma que não seja necessário, já que tem preocupações de segurança no “core” do iOS. Leia Mais

O mercado de iPhones está saturado?

O mercado de iPhones está saturado

A Apple deve apresentar nesta quarta-feira (12/09) a safra 2018 de seu iPhone com vários modelos novos de seu principal produto, com os quais espera impressionar os consumidores apesar dos altos preços e de um mercado global saturado.

Como sempre faz, a gigante americana deu poucas pistas sobre a apresentação planejada na sede de Cupertino, Silicon Valley, mas como todos os anos a especulação fez o seu trabalho: lançará três modelos de iPhone, incluindo uma versão maior do caro iPhoneX, apresentado no ano passado, e que poderia ser ainda mais caro.

Esse modelo, desenhado para celebrar os dez anos do smartphone, chegou repleto de inovações tecnológicas (reconhecimento facial, tela de LED, entre outras coisas) e é vendido a partir de US$ 999 nos Estados Unidos. A marca cofundada pelo falecido Steve Jobs também apresentou dois outros modelos, o 8 e o 8 Plus. Leia Mais

Trump acredita que a Apple deverá subir seus preços

Trump acredita que a Apple deverá subir seus preços
Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos, respondeu em sua conta no Twitter a carta da Apple em que a empresa expõe suas preocupações sobre o impacto da guerra comercial contra os chineses sobre seus produtos.

“Os preços da Apple talvez subam por conta das tarifas que estamos impondo à China – mas há uma solução fácil que seria a tarifa ZERO, e na verdade, um incentivo fiscal. Faça os seus produtos nos EUA ao invés da China. Comece a construir fábricas agora. Emocionante!”, escreveu o presidente. O comentário é seguido da expressão #MAGA, em referência ao seu programa ‘Make America Great Again’. Leia Mais

Carro autónomo da Apple bate na Califórnia

Carro autónomo da Apple bate na Califórnia

O desenvolvimento de carros autónomos sempre ocorre em ambiente fechado e controlado, porém em alguns casos, testes são realizados em cenários reais como estradas e rodovias.

Assim como os carros comuns, estes também estão sujeitos a problemas e acidentes comuns. Foi exatamente isto que aconteceu com um veículo autónomo da Apple – Apple Car, que teve o seu primeiro acidente, sem grande gravidade registrado.

O acidente só foi agora revelado, e aconteceu há poucas semanas. Segundo declaração da Apple, que comunicou ao Departamento de Veículos Motorizados Norte Americano, este pequeno acidente fora registado apenas por danos materiais.

O que aconteceu foi um pequeno choque entre um veículo conduzido por uma pessoa que bateu na traseira do carro da Apple, um Lexus RX450h. Este último preparava-se para entrar numa via rápida e circulava a menos de 2km/h, ao se preparar para fazer a manobra. Leia Mais

Apple quer criar óculos de Realidade Aumentada

Apple quer criar óculos de Realidade Aumentada

A Apple está sem dúvida interessada em trazer a realidade aumentada para seus consumidores. Seus programadores são incentivados em criar aplicações utilizando o AR Kit da Apple e a empresa de Cupertino está realmente empenhada em colocar a novidade seus produtos.

Obviamente, a Apple quer ir mais além e sabe muito bem onde quer chegar. Recentemente comprou, uma start-up que desenvolve lentes para óculos de realidade aumentada. Esta aquisição vem, certamente confirmar rumores que Apple estaria interessada em criar seu próprio sistema de realidade aumentada.

Ao longo do tempo, alguns relatórios de analistas da Apple têm mencionado que a empresa deverá lançar os seus próprios óculos de realidade aumentada em 2020 ou 2021. Aliás, o famoso analista Ming-Chi Kuo acredita que a Apple deverá mesmo lançar hardware de realidade aumentada dentro de dois anos. Leia Mais

Apple confirma lançamento de novos produtos para 12 de setembro

Apple confirma lançamento de novos produtos para 12 de setembro

A Apple lançará sua mais nova linha de produtos em 12 de setembro no Steve Jobs Theater, no campus de Cupertino, na Califórnia, informou a fabricante do iPhone.

A Apple está se preparando para lançar três novos smartphones este ano, incluindo o maior iPhone de todos os tempos, um aparelho que pode ter uma tela maior do que o principal celular da rival Samsung, informou a Bloomberg em fevereiro.

Mesmo com poucas informações sobre o evento, sejamos francos, a Apple tradicionalmente mostra novos iPhones em setembro, então, é quase certo que teremos mais detalhes sobre o smartphone da marca. Nós, inclusive, já especulamos sobre o que esperar do evento.

Além de novos iPhones, é esperado ainda que a Apple mostre novos relógios inteligentes Apple Watch e um iPad Pro que tenha FaceID (desbloqueio usando a face do usuário). Daqui a duas quartas-feira saberemos se esses rumores são verdadeiros ou não. Leia Mais

Sucessor do iPhone X terá dois chips

Sucessor do iPhone X terá dois chips

Segundo rumores a Apple deverá anunciar três novos iPhones por volta da segunda semana de setembro, período em que a Apple normalmente revela seus novos smartphones. As fontes internas da companhia ouvidas por Gurman e Wu descrevem 2018 como um “ano S”, ou seja, um ano de lançamento em que o design dos smartphones deve ser mantido — no caso, em relação ao que se viu no iPhone X, mas com alterações dentro dos aparelhos.

O lançamento, de acordo com a Bloomberg, deverá trazer várias opções de preços, características e tamanhos, com o objetivo de aumentar o apelo. Como já escrevemos aqui no Gizmodo, você não deve esperar que o preço dos smartphones pare de subir, e a informação que a Bloomberg tem é de que isso se refletirá claramente nos aparelhos da Apple, que, segundo o veículo, deverá aumentar o preço médio de seus aparelhos.

A Bloomberg listou uma série de possibilidades para os novos iPhones. Devemos ter um iPhone X com uma tela OLED de 5,8 polegadas, um novo iPhone de ponta com tela OLED de 6,5 polegadas; e um novo modelo mais barato, com tela LCD de 6,1 polegadas e visual parecido com o do iPhone X. É possível que, em alguns mercados, os dois dispositivos maiores tenham entrada dual-SIM. Leia Mais

Apple vai lançar MacBook e Mac Mini mais barato

Apple vai lanar MacBook e Mac Mini mais barato

A Apple se prepara para lançar ainda neste ano um novo MacBook de baixo custo e um Mac Mini com foco em usuários profissionais, de acordo com informações da Bloomberg.

Segundo a reportagem, que cita pessoas próximas do assunto como fontes, esse laptop mais barato terá um visual parecido com o MacBook Air atual, mantendo a tela com um tamanho próximo de 13 polegadas, mas com bordas mais finas e uma resolução mais alta, no estilo da Tela Retina presente em outros produtos da companhia.

Sem um upgrade significativo há anos, o MacBook Air é atualmente o único notebook do portfólio da Apple sem uma tela de alta resolução, conforme aponta o texto, publicado nesta segunda-feira, 20/8 – o texto da Bloomberg reforça um relatório recente da consultoria TrendForce, que também aponta que um novo Air está a caminho. Leia Mais

iPad explode em loja da Apple

iPad explode em loja da Apple

Correria na loja oficial da Apple em Amsterdã depois que um iPad apresentou problemas. Ao que tudo indica, a bateria do dispositivo começou a superaquecer e acabou explodindo.

Rapidamente o corpo de bombeiros local divulgou em seu perfil no Twitter que a equipe de resgate já estava presente no local. Não havia sinal de fumaça na loja, mas três pessoas apresentaram dificuldades respiratórias.

Segundo o site iCulture, as pessoas socorridas eram funcionários da própria loja da Apple. Ao perceber que o iPad tinha explodido, o dispositivo foi colocado imediatamente em um balde com areia (provavelmente para conter um possível incêndio) e a loja foi evacuada.

Um porta-voz da brigada de incêndio afirmou ao site que o incidente deve ter ocorrido devido a um vazamento na bateria do iPad. Os problemas respiratórios nos três colaboradores possivelmente foram causados por eles terem respirado os componentes tóxicos da bateria que ficaram no ar. Leia Mais

Carro da Apple poderá ser lançado em 2023

Carro da Apple poderá ser lançado em 2023

Segundo nota obtida pelo site MacRumors, Kuo já teria uma data aproximada para o lançamento do veículo da Apple: entre 2023 e 2025.

A justificativa para tal ação estaria embasada no argumento de que há uma demanda crescente no setor automotivo de carros com alta tecnologia, especialidade da Apple. Com isso, a empresa liderada por Tim Cook teria uma vantagem competitiva.

Kuo acredita que a companhia tem capacidade suficiente para gerar uma integração do hardware, software e outros serviços que integrarão o veículo.

Os rumores acerca a fabricação do Apple Car não são uma novidade. Desde 2014 que circulam os boatos de que a empresa estaria trabalhando em seu novo projeto de carro, apelidado de Project Titan. Mas, com o passar do tempo, os rumores eram de que a empresa teria desacelerado a produção do carro. Com as informações fornecidas por Kuo, a ideia de que a gigante teria retomado a todo o vapor o trabalho do veículo ganha força novamente. Leia Mais

Apple: consumidor não é produto

Apple: consumidor não é produto

A proteção de dados pessoais é um assunto que passou a preocupar os Estados Unidos desde o escândalo da Cambridge Analytica, que envolveu o Facebook. Por conta disso, o congresso do país decidiu questionar o tratamento dos dados de usuários feito por grandes empresas de tecnologia, entre elas a Apple. Ao menos no discurso, a empresa fundada por Steve Jobs mostrou uma postura mais próxima à defesa de seus consumidores e dos dados que circulam no iPhone

“Acreditamos que a privacidade é um direito humano fundamental e criamos nossos produtos e serviços para minimizar propositalmente nossa coleta de dados dos consumidores. Quando coletamos dados, somos transparentes sobre isso e trabalhamos para desassociá-la do usuário”, afirmou Timothy Powederly, diretor de negócios governamentais da Apple, em uma carta de 19 páginas em resposta ao congresso.

“O consumidor não é nosso produto e nosso modelo de negócio não depende da coleta de vastas quantidades de informações identificáveis pessoalmente para enriquecer perfis direcionados à propaganda”, assegurou a Apple. Leia Mais

Apple pode se unir a Elon Musk para criar trem futurista

O Hyperloop, trem futurista imaginado por Elon Musk, ainda está longe de ser realidade. Um dos problemas é o custo – quando concebeu a ideia em 2013, Musk estimava que uma rota entre San Francisco e Los Angeles poderia custar até US$ 6 bilhões, ou US$ 11,5 milhões por milha. Agora, parece que a Apple pode dar uma ajuda financeira para tirar do papel esse novo meio de transporte – pelo menos, numa pequena cidade californiana.

Tudo começou porque o crescimento da Apple tornou o trânsito de Cupertino, cidade 70 km ao sul de San Francisco, um inferno. A cidade onde a companhia mantém sua sede não estava pronta para o grande volume de veículos – são 25 mil funcionários na região de San Francisco, a maioria com empregos nas sedes de Cupertino.

A cidade então passou a discutir a possibilidade de taxar empresas com mais de 100 funcionários e direcionar o dinheiro para melhorias no trânsito – o imposto poderia impor uma taxa fixa por cada funcionário acima do teto. Isso faria a conta da Apple saltar de US$ 17 mil para US$ 9,4 milhões anuais. A ideia foi vetada pelos vereadores na semana passada, pois o projeto de um Hyperloop local pode estar a caminho. Leia Mais

Saiba como será o novo iPhone X

Novo sistema operacional da Apple sugere que modelo será maior do que o atual

Novo sistema operacional da Apple sugere que modelo será maior do que o atual

O possível lançamento de um iPhone X Plus ganhou ainda mais força nos últimos dias. Encontraram no código da versão beta do iOS 12 indícios de que o novo smartphone da Apple será.

O brasileiro Guilherme Rambo, que no ano passado também descobriu referências no iOS 11 e antecipou o que seria o iPhone X na época, encontrou uma imagem na programação que faz referência a um iPhone X diferente.

Em comparação com o modelo já vendido pela empresa, parece que o futuro lançamento será um pouco mais alto e mais fino. A imagem também mostra um botão na lateral direita.

Além do novo smartphone, o brasileiro descobriu dentro do código uma referência a um dispositivo que parece muito ser o iPad. Ao que tudo indica, ele terá tela infinita e será quase sem bordas. Leia Mais

Vale a pena comprar uma pulseira inteligente da China?

Vale a pena comprar uma pulseira inteligente da China

Uma das coisas que a maioria das pessoas se questionam, é o fato da verdadeira utilidade de um SmartWatch – Relógio Inteligente.

Atualmente muitas empresas estão criando falsas necessidades só para venderem seus aparelhos. Então surge aquela velha dúvida antes de comprar – Será que vale a pena o investimento $$$?

Essa era minha grande dúvida sobre os smartwatches e suas variantes voltadas ao monitoramento do corpo e prática de esportes.

A dúvida aumenta quando você começa a ficar encantado por um elegante Apple Watch, só que tem um pequeno probleminha, você é totalmente imerso nos serviços do Google e seu celular é Android companheiro, isso sem falar no preço bem salgado, o briquedinho custa mais R$ 2.500.

Ôpa, tem uma alternativa  –  as pulseiras inteligentes, mas será que valem à pena? Leia Mais

Os PAYs em questão – Samsung Pay, Apple Pay e Google Pay

Os PAYs em questão  - Samsung Pay, Apple Pay e Google Pay

A Proteste avaliou recentemente três dos principais de carteiras virtuais para smartphones disponíveis no Brasil: Apple Pay, Google Pay e Samsung Pay. Em sua análise, a organização de defesa do consumidor aponta os principais prós e contras de cada uma das plataformas de pagamentos.

Entre diferentes pontos, foram verificados aspectos como compatibilidade com aparelhos e bancos e o processo de instalação e inserção dos dados dos cartões.

Todos os três funcionam a partir de uma premissa similar: armazenam os dados do cartão no app para que os pagamentos sejam realizados ao apenas aproximar o smartphone da máquina de cartão – a autenticação é feita via impressão digital ou reconhecimento facial.

O Proteste destaca que os usuários precisam ficar atentos a alguns pontos na hora de escolher o serviço de pagamento para o celular: tipo do aparelho e sistema operacional, ao banco e ao cartão.

Por exemplo, o Google Play e o Apple Pay funcionam por meio da tecnologia NFC (Near Field Communication), enquanto que o Samsung Pay é compatível com o padrão MST (Magnetic Secure Transmission) e o já citado NFC. Leia Mais

Apple vale 1 trilhão de dólares – O que explica tamanho crescimento

O avanço das ações nos últimos dias reflete o lucro da empresa, e ele foi puxado pela venda de iPhones por um preço mais caro. No segundo trimestre de 2018, as vendas de iPhone ficaram abaixo do esperado pelos investidores (foram vendidas 41,3 milhões de unidades, contra expectativa de 41,8 milhões). Mas isso foi compensado pelo preço mais alto do produto: o valor médio foi de US$ 724, contra a expectativa inicial de US$ 694 dólares, segundo dados da FactSet.

Mas as vendas do iPhone já chegaram a preocupar e causar queda das ações da Apple em anos anteriores. Em 2016, a Apple reportou queda na venda de iPhone, fazendo com que a receita da empresa tivesse a primeira baixa em 15 anos. Em 2017, houve novo recuo inesperado nas vendas do produto, e isso fez com que as ações caíssem.

Depois disso, a empresa buscou se diversificar para não depender tanto do iPhone. Com esse movimento, os ganhos com serviços como iTunes Store, Apple Music, Apple Pay aumentaram 31% no segundo trimestre de 2018, para US$ 11,5 bilhões.

A compra de smartphones se estabilizou, e a Apple ampliou sua linha de iPhone com versões mais caras e baratas, do iPhone X ao iPhone SE.

Os dois países vêm trocando medidas protecionistas e ameaças de retaliações, gerando temores de que uma “guerra comercial” possa atingir outros países e afetar a economia global como um todo. A China é um dos principais mercados da Apple, e a empresa também monta no país asiático a maioria de seus aparelhos. Por essa razão, o conflito preocupa investidores e acionistas da empresa. Leia Mais

Apple é primeira empresa do mundo a valer US$ 1 trilhão

Apple é primeira empresa do mundo a valer US$ 1 trilhão

A Apple surpreendeu seus rivais Amazon, Alphabet (dona do Google) e Microsoft se tornando a primeira empresa a atingir US$ 1 trilhão (R$ 3,76 trilhões, pelo câmbio atual) em valor de mercado em Wall Street.

O marco foi conquistado após três pregões de alta, desde que a fabricante divulgou um balanço sólido.

Os papéis da gigante tecnológica fecharam o dia em alta de 2,92%, cotados a US$ 207,39 (R$ 779,4). Assim desde a oferta inicial, em 1982, as ações subiram quase 36.000%.

O desempenho puxou o índice de tecnologia Nasdaq, que subiu 1,24%, e o S&P 500, com alta de 0,49% –o Dow Jones, principal indicador de Nova York, recuou 0,03%.

O presidente-executivo da Apple, Tim Cook, disse nesta quinta que o trilhão alcançado é um marco significativo, mas não a medida mais importante do sucesso da empresa. 

“Os retornos financeiros são o resultado da inovação da Apple, colocando produtos e clientes em primeiro lugar e permanecendo fiel a nossos valores”, disse em memorando aos mais de 120 mil funcionários da empresa, visto pela agência Reuters.

Leia Mais

Chinesa Huawei ultrapassa a Apple

Chinesa Huawei ultrapassa a Apple

Pela primeira vez em sete anos, a Apple não está entre os dois maiores fabricantes mundiais de smartphones. E pela primeira vez em todos os tempos, uma empresa chinesa está.

Analistas de diversas organizações de pesquisa, entre as quais IDC, Canalys e Counterpoint, calcularam que no segundo trimestre a Huawei superou a Apple se tornou a segunda maior fabricante, abaixo da Samsung, no mercado mundial de smartphones, em termos de volume de vendas.

A notícia reduziu um pouco o brilho de um dia em geral muito positivo para a fabricante do iPhone, que reportou receitas superiores às esperadas no segundo trimestre.

A subida da posição da Huawei, apesar de ela continuar excluída do crucial mercado dos Estados Unidos devido a questões de segurança nacional, revela a ameaça oculta da China à posição da Apple —quer ela venha em forma de concorrentes locais ou de questões políticas internacionais.

“A Apple não está em uma posição muito confortável”, disse Nicole Peng, analista de mobilidade na Canalys, uma empresa de pesquisa de mercado. “Os consumidores precisam fazer uma escolha dura entre a Apple e seus pares na China”. Leia Mais

Tim Cook CEO da Apple, acredita no fim do dinheiro

Recentemente Tim Cook levantou novamente a questão que próxima geração poderá não saber mais o que é dinheiro em espécie, graças a evolução de sistemas de pagamentos como o Apple Pay e concorrentes.

“Seus filhos não saberão o que é dinheiro!”

O grande problema ao fazer tal declaração é subestimar o valor do dinheiro. Diferente de números em uma tela ou cartões virtuais, dinheiro é prático e aceito por todos em qualquer situação. Imagine uma queda de sistema ou de energia, onde nem seu cartão de crédito vai salvar o dia (ninguém mais possui aquelas tranqueiras que tiravam cópias carbonadas deles). E essa é apenas uma possibilidade.

Consideremos outro cenário: países em desenvolvimento. Tirando o Apple Pay que só vai rodar em smartphones superfaturados e olhando para soluções do Google, mais acessíveis em dispositivos de entrada, é possível considerar tais dispositivos como uma forma de facilitar compra e venda, mas tudo depende de um sistema rodando em todo lugar e compatível. E não falo do Brasil, onde implantar tal serviço é viável. Vejamos países da África ou do Oriente, o dinheiro digital terá apelo suficiente para suplantar o real? Leia Mais

Evento da Apple deve lançar novos iPhones

Apple marcou um evento para o anúncio de produtos para 12 de setembro, segundo pessoas com conhecimento do assunto, reforçando expectativas de que a gigante da tecnologia lançará novos iPhones e um smartwatch bem antes da temporada de compras do fim de ano.

A empresa deverá apresentar três novos modelos do iPhone, disseram as fontes, incluindo um aparelho maior de “tela infinita” e com tecnologia de reconhecimento facial para marcar o 10º aniversário do smartphone, além de versões atualizadas dos atuais iPhone 7.

Nos últimos meses, analistas vinham dizendo que problemas na produção poderiam levar a Apple a adiar o lançamento do modelo com “tela infinita”. Mas se o evento realmente ocorrer em 12 de setembro, estará mais ou menos em linha com os lançamentos de iPhones de anos recentes.

A Apple se recusou a confirmar a data do evento. A empresa normalmente mantém em segredo informações sobre eventos do tipo até poucos dias antes da data de lançamento. Leia Mais