Apple x Amazon: quem será o vencedor?

Apple x Amazon: quem será o vencedor

No início de setembro, o valor de mercado da Amazon passou brevemente de US$ 1 trilhão, apenas um mês depois de a Apple ter se tornado a primeira empresa de capital aberto do mundo a conquistar esse mesmo feito. Ambas empresas de tecnologia cresceram nos últimos anos, mas até quando esse crescimento vai manter o ritmo?

Apple e Amazon são profundamente diferentes entre si.

A primeira é uma empresa de tecnologia que também dita moda no mercado de consumo. Seus dispositivos muitas vezes se tornam gadgets cobiçados, e parte dos consumidores se dispõe a pagar bem mais por eles do que pelos produtos concorrentes.

Já a Amazon, por sua vez, é acessada por consumidores que querem comprar produtos mais baratos, com mais facilidade ou com mais rapidez.

Desde que o primeiro iPhone começou a ser vendido, em 2007, as ações da Apple subiram 1100% e cresceram em quase um terço de seu valor no ano passado. Leia Mais

Mercado de criptomoedas encolhe 186 bilhões de dólares

Mercado de criptomoedas encolhe 186 bilhões de dólares

O valor de mercado coletivo de todas as moedas criptografadas caiu para US$ 186 bilhões nesta quarta-feira – atingindo seu valor mais baixo no ano e o menor desde novembro 2017.

Podemos considerar que foi uma queda bem acentuada e tudo indica que vai continuar caindo, desde seu pico em janeiro chegando a valer US$ 831 bilhões.

A Bitcoin, a maior criptomoeda do mercado, ainda consegue se manter estável, com valor de US$ 6.281, mesmo assim apresentou uma perda de 1,91% nas últimas 24 horas de acordo com a CoinMarketCap.

A moeda também sofreu forte desvalorização, quando comparamos seu valor em janeiro 2018 – US$ 19.800. Embora o Bitcoin continue firme na casa dos US$ 6.000 este ano, nada indica que sairá ilesa da onda de desvalorização. Leia Mais

Corretoras buscam a todo custo popularizar o bitcoin no Brasil

Corretoras buscam a todo custo popularizar o bitcoin no Brasil

Corretoras buscam a todo custo popularizar o bitcoin, desmitificando a imagem de que moedas digitais são destinadas a operações especulativas, perigosas ou ilegais.

“As criptomoedas devem aumentar cada vez mais seu papel como meios de pagamento”, declarou Edisio Pereira Neto, presidente da Bitblue.

“O bitcoin ainda não tem tanta expressão como um meio de troca porque as pessoas acreditam que ele vai se valorizar muito. Por isso, elas preferem manter a moeda em carteira, como reserva de valor, do que gastar”, disse Pereira.

Ele aposta no potencial das moedas digitais para operações de câmbio e remessa de recursos para o exterior. “Já temos acordo com mais de 200 casas de câmbio. Cada vez mais estabelecimentos estão aceitando.”

A instabilidade nas cotações é outra barreira que dificulta uma maior aceitação do bitcoin e de outras moedas digitais pelo comércio em geral.

Por essa razão, algumas corretoras estão elaborando ferramentas que garantam o valor de venda dos produtos comprados com criptomoedas. Leia Mais

Fora Zuckerberg – Acionistas pedem sua saída após o Facebook perder bilhões na bolsa

 Acionistas pedem sua saída após o Facebook perder bilhões na bolsa

O Facebook e seu presidente-executivo, Mark Zuckerberg, foram processados nesta sexta-feira no que pode ser o primeiro de muitos processos sobre o anúncio feito pela empresa de queda de lucro futuro, que reduziu o valor de mercado da rede social em cerca de US$ 120 bilhões.

O processo foi aberto pelo acionista James Kacouris, em Manhattan, que acusou o Facebook, Zuckerberg e o vice-presidente financeiro, David Wehner, de fazerem comentários ilusórios ou não terem revelado anteriormente informações sobre desaceleração no crescimento da receita, queda das margens operacionais e recuos na base de usuários ativos.

A semana não tem sido das melhores para o CEO do Facebook Mark Zuckerberg. As ações da empresa chegaram a cair cerca de 20% nesta quinta-feia (26) após o anúncio do resultado financeiro do último trimestre encerrado em junho. Apesar dos aumentos significativos na receita (42%) e lucro (31%), a revelação de que o ritmo de crescimento da companhia ficará mais lento repercutiu negativamente – e imediatamente. A empresa perdeu cerca de US$ 120 bilhões em valor de mercado.

Com esse balanço negativo, a fortuna do cofundador da rede social encolheu mais de US$ 15 bilhões. Segundo ranking das pessoas mais ricas o mundo da revista Forbes, Zuckerberg caiu de 4º para 6º lugar na lista. Seu patrimônio foi de US$ 82,5 bilhões para US$ 67,1 bilhões, calculou a revista – uma queda de quase 20%. Leia Mais

Amazon se aproxima da Apple em valor de mercado

Amazon se aproxima da Apple em valor de mercado

O valor de mercado da Amazon.com atingiu US$ 900 bilhões nesta quarta-feira (18) pela primeira vez, um marco importante em sua trajetória de 21 anos como uma companhia listada na Bolsa de Valores e que ameaça superar a Apple como joia mais valiosa de Wall Street.

Depois que Jeff Bezos fundou a empresa de venda de livros online em sua garagem em 1994, a Amazon sobreviveu à crise das empresas pontocom e expandiu-se em toda a indústria de varejo, alterando a forma como os consumidores compram produtos e desencadeando uma luta entre lojas físicas.

Após anunciar que vendeu mais de US$ 100 milhões em produtos durante a venda anual do Prime Day, o valor de mercado da Amazon atingiu US$ 902 bilhões.

As ações da Amazon subiram mais de 57% em 2018, com uma valorização de 123 mil% desde sua listagem na Nasdaq, em 1997. Um investidor que tivesse comprado uma única ação da Amazon por US$ 18 no IPO teria agora um investimento de mais de US$ 22,2 mil.

p>A Amazon, o serviço de streaming de vídeo Netflix e um punhado de empresas de tecnologia de peso pesado alimentaram a recuperação de Wall Street nos últimos anos e continuam sendo peças-chave dos portfólios dos gestores de portfólio.

A Apple superou a Exxon Mobil no fim de 2011 como a empresa dos EUA com o maior valor de mercado de ações. As ações da empresa fundada por Steve Jobs subiram 12% em 2018, elevando o valor do mercado de ações a US$ 935 bilhões.

A Amazon divulga seus resultados em 26 de julho e a Apple apresenta os seus 31 de julho.

A Amazon superou a Microsoft como terceira maior empresa dos EUA em valor de mercado em fevereiro.

Desde então, a Microsoft também foi superada pela Alphabet, dona do Google.

Os 10 cargos de TI que serão destaque em 2018

Os 10 cargos de TI que serão destaque em 2018

Dados divulgados no estudo anual IDC Predictions mostram que a tendência é de que o mercado de TI melhore no Brasil durante o primeiro semestre de 2018 e que a área avance 5,8% ao longo do ano.

A projeção é de que a transformação digital continue a acontecer nas empresas, motivando mudanças nas estrutururas das organizações. Além disso, também devem estar em alta as vendas de smartphones e tablets para o setor corporativo, avanço da internet das coisas no ambiente doméstico, blockchain (a tecnologia por trás do bitcoin), big data e analytics, nuvem pública e segurança da informação.

Tudo isso impacta o mercado de trabalho e, segundo o headhunter especializado em tecnologia Paulo Exel, a curva de crescimento e de demanda por profissionais de TI só tende a aumentar nos próximos anos.

Confira 10 cargos na área de TI que serão destaque ao longo de 2018, de acordo com Exel: Leia Mais

Que tal investir em live streaming?

Que tal investir em live streaming em 2018

Cada vez mais as pessoas se interessam por conteúdos online em tempo real que dão chance de interação, e o live streaming é um destaque nesse quesito. Com poder de gerar tráfego e transformar conteúdos em virais, a ferramenta está conquistando a atenção das marcas que buscam novas formas de se comunicar.

O live streaming é o futuro do conteúdo de vídeo e as empresas que ainda não fazem uso dessa modalidade não devem perder a oportunidade nesse ano. Sendo um material muito acessível, só vai continuar a crescer em 2018.

Crescimento acelerado
Segundo pesquisa da Research and Markets, a indústria de live streaming faturou, em 2016, US$ 30 bilhões e tem previsão de tornar- se uma indústria de mais de US$ 70 bilhões em faturamento até 2021. Usar plataformas para este recurso é uma maneira quase gratuita de gerar receitas para seu negócio. Leia Mais

Bitcoin despenca novamente e fica abaixo dos US$ 6 mil

Bitcoin despenca novamente e fica abaixo dos US$ 6 mil
O bitcoin registrou nova queda drástica nesta terça-feira (6/2) e caiu para menos de US$ 6 mil. O valor representa redução de mais da metade do valor desde o início de 2018.

A bolsa Bitstamp, baseada em Luxemburgo, registrou valor de US$ 5.920, nível mais baixo desde novembro. Na semana passada, o valor chegou a US$ 9.165, o que já era considerada uma forte queda.

Após leve recuperação, as criptomoedas caíram novamente nesta semana. A moeda digital chegou a valor quase US$ 20 mil em dezembro do ano passado.

Um dos motivos que explica são as preocupações com regulações em mercados emergentes, o que tem deixado investidores em pânico.

Stephen Innes, responsável pelas transações Ásia-Pacífico na Oanda – companhia de serviços financeiros especializada no mercado de divisas -, afirmou à AFP que é preciso ver, por trás deste movimento, o endurecimento regulatório e o fato de os investidores perderem confiança nas moedas virtuais, especialmente depois da pirataria da plataforma de intercâmbio japonesa Coincheck. Leia Mais