Inteligência Artificial O que é e qual sua importância?

Inteligência Artificial O que é e qual sua importância

A Inteligência artificial (IA) possibilita que máquinas aprendam com experiências, se ajustem a novas entradas de dados e performem tarefas como seres humanos. A maioria dos exemplos de IA sobre os quais você ouve falar hoje – de computadores mestres em xadrez a carros autônomos – dependem de deep learning e processamento de linguagem natural. Com essas tecnologias, os computadores podem ser treinados para cumprir tarefas específicas ao processar grandes quantidades de dados e reconhecer padrões nesses dados. Leia Mais

Com inteligência artificial, fintechs terão tempo para criar novos produtos

Com inteligência artificial, fintechs terão tempo para criar novos produtos

Livrar as pessoas de atividades mais manuais e possibilitar um trabalho efetivo de pensar em novos produtos. É dessa forma que um dos fundadores da Fisher Venture Builder, Pietro Bonfiglioli, enxerga o uso de inteligência artificial (IA) no mercado de fintechs.

“Hoje, temos muito uso de IA em interface com o cliente — com chatbots e robôs de investimentos, por exemplo. Essas ferramentas automatizam e dão escalabilidade para atividades que antes precisavam de pessoas”, explica Bonfiglioli. “Quando eu vejo o futuro para IA que cabe nesse mercado, enxergo uma aplicação no sentido de liberar espaço para que as pessoas possam gerar produtos de melhor valor para os clientes”, afirma. Leia Mais

Bons exemplos são a chave para inteligência artificial

inteligência artificial

Membro do alto escalão do Google, a cientista Cassie Kozyrkov acredita que os próximos avanços em machine learning dependem mais dos fins do que dos meios. Sistemas e algoritmos de inteligência artificial já estão disponíveis aos montes, afirma ela. “O mais difícil é entender o que eles vão fazer e como eles terão a certeza de que aquilo está certo.”

A pesquisadora afirmou durante a conferência de inovação e tecnologia Web Summit 2018 que os engenheiros que trabalham com inteligência artificial precisam ter em mente quais funções esses sistemas vão desempenhar — e não apenas como o farão. “Estamos tentando mudar essa mentalidade no Google”, diz ela. “Humanos ensinam algo a esses algoritmos, então tem um nível de subjetividade aí, por isso é missão de líderes e desenvolvedores pensar o que esses sistemas podem aprender.” Leia Mais

Inteligência artificial é usada para combater o caos aéreo

Inteligência artificial é usada para combater o caos aéreo

Voos atrasados não significam apenas filas nos salões de embarque. Eles também resultam em prejuízo financeiro – tanto para o passageiro, quando perde compromissos importantes ou tem gastos extras com a permanência no aeroporto, quanto para as companhias aéreas, que veem travar sua principal atividade.

Remanejar o embarque de passageiros, acionar mais pessoal em terra, manobrar de forma imprevista outras aeronaves no pátio… tudo que o atraso na decolagem torna necessário fazer custou, em média, US$ 68,48 por minuto às aéreas dos Estados Unidos no ano passado, segundo a Airlines for America, associação das principais empresas do setor no país. Leia Mais

Há empregos que não valem a pena salvar?

Há empregos que não valem a pena salvar

A ficção científica está repleta de histórias sobre uma inteligência artificial que desenvolve consciência e parte para a destruição da humanidade.

Na verdade, a ameaça é muito menos dramática, mas igualmente assustadora, de acordo com o historiador Yuval Noah Harari, que prevê desordenamento na força de trabalho, nos governos mundiais e na nossa vida emocional.

Harari criou uma base mundial de fãs com “Sapiens: Uma Breve História da Humanidade”, em 2001. O best-seller questionava a interpretação convencional sobre a origem das espécies.

Em 2017 ele seguiu esse trabalho como “Homo Deus: Uma Breve História do Amanhã”. Em “21 Lessons for the 21st Century”, publicado em setembro, o pesquisador israelense oferece conselhos sobre como enfrentar as questões mais prementes do amanhã, da tecnologia da informação ao terrorismo. Leia Mais

As 7 melhores TED Talks sobre inteligência artificial e robótica

As 7 melhores TED Talks sobre inteligência artificial e robótica

A inteligência artificialé um tópico altamente discutido que levanta o debate sobre ética, inteligência emocional e cooperação humano-computador.

O TED Talks oferece uma variedade de palestras interessantes e envolventes sobre uma ampla gama de tópicos, desde segurança cibernética até desenvolvimento de negócios. E uso da AI não é diferente.

Nós compilamos uma lista das melhores TED Talks sobre o tema. Aqui estão sete das melhores TED Talks para qualquer pessoa interessada na tecnologia.

1. Como a IA está facilitando o diagnóstico de doenças

Enquanto esta palestra dura apenas cinco minutos, o Dr. Pratik Shah, investigador Principal do MIT Media Lab, cobre de maneira eficaz o potencial da IA em diagnósticos e como o processo de treinamento de algoritmos da tecnologia para detectar doenças pode ser significativamente reduzido. Leia Mais

Quer ter sucesso no futuro? domine a linguagem dos computadores

“Imagine um mundo onde as pessoas poderão expressar suas preferências em códigos. Daria para alimentar um grande sistema de inteligência artificial que decidirá o que deve ser feito”

No Rio de Janeiro para o “embaraçoso” Congresso Internacional de Matemática, Stephen Wolfram de 58 anos, considerado um dos maiores especialistas do mundo em inteligência artificial, falou à Folha de São Paulo sobre suas visões para o futuro.

Como o senhor imagina que o mundo será quando boa parte da população puder programar? No futuro, quando todos souberem escrever um código, o cardápio provavelmente será um punhado de códigos que basicamente dizem como sua comida será preparada por um robô cozinheiro.

Um exemplo interessante, que provavelmente não será aplicado exatamente dessa forma, é a política.
Agora temos algo como cinco candidatos, dos quais você precisa escolher um. Imagine um mundo, e isso é um exercício de imaginação, onde todos possam expressar suas preferências como grandes apanhados de código.

As pessoas poderão escrever um ensaio computacional que descreva suas preferências sobre como as coisas devam funcionar. Imagine então que você use isso para alimentar um grande sistema de inteligência artificial, e ele resolverá o que fazer. Leia Mais

Quer aprender Inteligência Artificial?

O Instituto de Inteligência Artificial Aplicada – i2a2, criado pela empresa Data H para formar talentos para o mercado de AI, anunciou a abertura das inscrições para o segundo processo seletivo do curso Especialização em Inteligência Artificial, no Campus ou na sede da Data H, em Ribeirão Preto (SP).

O treinamento é gratuito e tem duração de dois anos, período em que os alunos passarão por exames do Deep Learning Institute, da Nvidia, para obter certificação internacional reconhecida no mundo todo. O valor de uma formação desse nível pode chegar a cerca R$ 200 mil.

Serão selecionados quatro candidatos para um programa que abrange diversas áreas da inteligência artificial como visão computacional, processamento de linguagem natural e machine learning.

Nas aulas, de segunda à sexta, das 13h30 às 17h, os alunos participam de desafios e projetos ao lado de gigantes do setor como Nvidia e IBM.

Não existem pré-requisitos para concorrer às vagas disponíveis, nem idade mínima ou máxima. A seleção dos candidatos é iniciada no preenchimento dos formulários de inscrições, que incluem questões de raciocínio lógico e poderão ser feitas até o dia 26 de agosto de 2018 pelos links: https://www.i2a2.com.br/processoseletivo ou https://goo.gl/forms/E0lrhAnEayuGq2GL2 Leia Mais

A era dos smartphones com inteligência artificial

A era dos smartphones com inteligência artificial

Durante os últimos anos, os smartphones evoluíram em hardware, tamanho e eficiência, de pequenos dispositivos a verdadeiros phablets (smartphones com telas enormes, que mais lembram um tablet), da conectividade celular 3G à LTE, sem deixar de fora uma das mudanças mais importantes: as câmeras, cada vez mais sofisticadas. E agora é a vez de ganharem Inteligência Artificial (IA).

A IA, nesse contexto, é a capacidade de um dispositivo em adaptar-se e tomar decisões, sem a necessidade de que um usuário insira dados ou realize alguma ação, além de aprender com o seu entorno. Segundo dados do Gartner, até 2022 cerca de 80% dos dispositivos móveis terão algum tipo de IA, tecnologia que ajudará desde o reconhecimento de emoções, entendimento da Linguagem Natural, desbloqueio ou autenticação de usuário, na realidade aumentada e até na personalização do dispositivo.

E as aplicações são quase ilimitadas. Imagine que seu telefone identifica seu rosto e, dependendo das emoções que encontra, começa a reproduzir música de acordo com o momento. Ou entende que você está em uma conferência ou aula e suspende as notificações para que você não perca a concentração, deixando passar apenas as mensagens importantes, tudo isto sem perder sua potência ou reduzir a duração de sua bateria. Esse é o objetivo das empresas que desenvolvem hardware e software para inteligência artificial.

O lançamento de Sistemas em um Chip (SoC, da sigla em inglês) para smartphones com a capacidade de desempenhar tarefas avançadas de IA afeta não só a forma com que os consumidores interagem com os seus telefones, mas também o desempenho deles. Leia Mais