90% dos médicos adotarão tecnologias móveis no leito do paciente.

90% dos médicos adotarão tecnologias móveis no leito do paciente.
Um estudo realizado pela Zebra Technologies junto à comunidade médica aponta que dentro de cinco anos, 90% dos médicos e profissionais de saúde esperam estar usando tecnologias móveis no leito dos pacientes de hospitais de terapia intensiva. A pesquisa, chamada Futuro da Saúde: 2022 – Estudo Hospitalar, identificou o aumento do uso de laptops, tablets, scanners de código de barras sem fio e impressoras portáteis nos hospitais.

Mais de 2/3 dos entrevistados (72%) acreditam que a vantagem do uso desses equipamentos é melhorar a qualidade dos serviços prestados por oferecer informações atualizadas no leito dos pacientes e, com isso, reduzir a probabilidade de erros e diminuir a burocracia. Como efeito colateral positivo, os entrevistados indicam também um aumento do tempo de contato entre o médico e seus pacientes. Do lado dos pacientes, o interesse é reforçado: oito entre dez pacientes disseram sentir-se mais seguros por causa da tecnologia adotada.

Segundo dados da pesquisa, quase todos os hospitais participantes do estudo planejam adotar dispositivos móveis perto dos pacientes, seja por enfermeiros (97%) ou por médicos (98%), até 2022. Um dado interessante é que os hospitais esperam estender tais tecnologias para todo o ecossistema ligado a eles, como farmacêuticos, radiologistas, técnicos de laboratório e responsáveis pelo transporte de pacientes.

“Soluções móveis de saúde são uma tendência poderosa e altamente transformadora. Elas impactam de maneira significativa a qualidade do atendimento aos pacientes em todo o mundo”, afirma Chris Sullivan, líder da área de Global Healthcare da Zebra.

Há uma grande expectativa dos profissionais de saúde pela redução dos erros médicos evitáveis com a adoção da tecnologia. Chefes de enfermagem entrevistados e os responsáveis pelas tomadas de decisão em TI esperam que soluções de mobilidade no setor esperam diminuir erros na administração de medicamentos (61%) e rotulagem de amostras (52%).

Em 2022, espera-se que 91% dos enfermeiros tenham acesso a registros médicos eletrônicos (EHR, por suas iniciais em inglês), bancos de dados de medicamentos (92%) e resultados de laboratório (88%) por meio de dispositivos móveis. Isso tende a reduzir burocracias e aumentar o tempo gasto por esses profissionais com pacientes.

O uso de recursos de comunicação móvel entre médicos e enfermagem foi identificado por 64% dos decisores de TI nesse segmento como outro foco importante de melhora. A adição de localização em tempo real por meio dos dispositivos móveis deverá também agilizar fluxos de trabalho, facilitando encontrar rapidamente equipamentos, suprimentos e produtos farmacêuticos, além de pacientes e outros membros da equipe.

Os pacientes estão conscientes dos benefícios das soluções móveis para a saúde e participam ativamente da prestação de seus cuidados médicos. A maioria dos pacientes entrevistados (77%) expressa opinião positiva sobre o uso de tecnologias móveis para melhorar a qualidade do atendimento.

O estudo da Zebra foi realizado em 2017 em parceria com Research Now e Lucid, foram ouvidos mais de 1.500 pessoas, incluindo enfermeiros-chefe, tomadores de decisão de TI e pacientes recentemente hospitalizados, nos Estados Unidos, Brasil, China, Reino Unido, Arábia Saudita, Kuwait, Qatar e Emirados Árabes Unidos.

Fonte: IDGNow!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *