Uber recebe investimento bilionário

Terminou neste domingo a briga entre Travis Kalanick, ex-CEO do Uber, e a empresa de capital de risco Benchmark, que há vários meses vinha complicando a vida do conselho administrativo do Uber e impedindo a entrada do grupo japonês SoftBank Group Corp como investidor. Segundo diferentes sites de informação internacionais, entre eles Reuters, Bloomberg e TechCrunch, o Conselho conseguiu fechar o acordo de paz entre Kalanick e Benchmark e, com isso, pavimentou o caminho para um investimento multibilionário do SoftBank Group que pode chegar a US$ 10 bilhões nas próximas semanas.

A empresa de capital de risco Benchmark é uma das primeiras investidoras no Uber e sua participação na companhia está avaliada em US$ 9 bilhões, segundo a Reuters. Em agosto passado ela entrou com um processo contra Kalanick com o objetivo de tirá-lo de vez do Conselho e diminuir seu poder de influência nas decisões do Conselho. Com a mediação do atual CEO do Uber, Dara Khosrowshahi, os dois lados entraram em um acordo e a Benchmark concordou em encerrar o processo contra Kalanick.

O fim da briga abre as portas para a entrada da SoftBank, que lidera um consórcio com a Dragoneer para investir diretamente entre US$ 1 bilhão a US$ 1,25 bilhão no Uber, tendo como base o valor de avaliação de US$ 68 bilhões do Uber. Um investimento secundário, que pode chegar a mais US$ 9 bilhões, será feito pela SoftBank comprando a participação de outros investidores da companhia, por um valor de mercado menor que os US$ 68 bilhões, que será proposto em breve. Com a compra, a Softbank passaria a ter 17% de participação no Uber.

O conselho também aprovou uma série de reformas no conjunto de regras de governança do Uber que foram exigidas para complementar a negociação com a SoftBank. As reformas incluem remover os direitos de super-voto que davam a Kalanick e seus aliados extremo poder sobre as decisões do Conselho; adicional novos diretores independentes; e aumentar o número de posições do board para 17 membros.

Segundo a Reuters, o Uber planeja publicar anúncios em jornais para informar aos investidores sobre a oportunidade de compra de suas ações pela SoftBank e a investidora japonesa, por sua vez, vai propor o valor pelo qual quer comprar as ações adicionais. Se o acordo não for fechado com o Uber, a SoftBank já ameaçou colocar seu dinheiro na rival Lyft.

O TechCrunch, citando fontes internas, afirma que a oferta do SoftBank será feita no dia 28 de novembro, ficando aberta por 20 dias úteis para os interessados. Uma das empresas que pode se beneficiar da transação é a própria Benchmark, que deverá ganhar uma bela soma em troca do que já investiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *