Uber suspende teste com veículos autônomos após acidente no Arizona

Uber

A Uber Technologies suspendeu temporariamente seu programa piloto para carros sem motorista no sábado (25/03) após um de seus veículos bater em uma avenida em Tempe, Arizona. A companhia informou que não há nenhuma vítima grave.

A @FrescoNews, serviço que vende notícias para empresas de mídia, publicou uma foto e vídeo no Twitter onde uma SUV Volvo da Uber, equipada com tecnologia autônoma, está tombada ao lado de outro veículo.

À Bloomberg, um representante da empresa confirmou o acidente e a veracidade da foto e acrescentou que está suspendendo seus testes no Arizona até completar a investigação sobre a causa do acidente. Os testes com carros autônomos em Pittsburgh também foram pausados, por enquanto.

De acordo com informações da polícia local, o carro do Uber não foi responsável pelo acidente. Outro veículo teria falhado ao ultrapassar a SUV da Uber, batendo nesta e levando o veículo a tombar para o seu lado.

Ao site TechCrunch, a Uber confirmou que seu veículo se encontrava no modo autônomo no momento do acidente. O motorista, que estava atrás do volante do carro autônomo não teria conseguido assumir o controle a tempo a fim de prevenir o acidente.

Um representante da companhia de aplicativo de transporte individual informou que “continuamos a investigar o acidente e confirmamos que não havia nenhum passageiro no banco traseiro do veículo.”

A Uber começou a testar sua frota de carros autônomos no ano passado em Pittsburgh e depois expandiu o programa para o Arizona, após os testes com os mesmos terem sido barrados em São Francisco pelo Departamento de Trânsito da Califórnia.

O programa tem como objetivo mostrar os progressos com a tecnologia ao transportar passageiros do aplicativo. No mês passado, o serviço começou a servir clientes em Tempe, após o governador do estado Doug Ducey, entusiasta dos carros autônomos, ter inaugurado a novidade.

Vale ressaltar que a companhia de Travis Kalanick tem passado por uma série de controvérsias nos últimos meses, que vão desde a saída de executivos do alto escalão a escândalos envolvendo assédio sexual e ainda um processo da Waymo (unidade de carros autônomos do Google).

A Waymo alega que a Uber teria se beneficiado de sua tecnologia proprietária ao adquirir a startup Otto, que desenvolve caminhões autônomos.

A Otto foi cofundada por Anthony Levandowski, ex-funcionário da Waymo e que agora lidera a divisão de carros sem motorista do Uber.

Segundo a gigante de tecnologia, antes de sair, Levandowski teria baixado “mais de 14.000 arquivos de design altamente confidenciais e proprietários” de sua antiga empresa em dezembro de 2015.

Entre os arquivos estavam os projetos para o sistema LiDAR da Waymo e placa de circuito, que é uma tecnologia-chave que ajuda os carros autônomos a mapearem seus arredores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *