Será que você corre risco de perder seu emprego para um robô?

No futuro, você provavelmente não irá recorrer a um corretor de imóveis ao comprar uma casa nem tratar com uma pessoa ao enviar algo pelo correio ou pegar um livro na biblioteca. Em vez disso, lidará com robôs encarregados de cumprir essas funções.

É o que prevê o pesquisador Carl Frey, da Universidade de Oxford, no Reino Unido. Ao lado de outro estudioso do tema, Michael Osborne, ele elaborou uma metodologia para estimar as chances de um emprego ser automatizado. Ele argumenta que estamos entrando em uma nova fase do avanço da tecnologia sobre os postos de trabalho.

Primeiro, máquinas substituíram atividades mais simples, como funções em linhas de montagem de fábricas. Agora, com o avanço da robótica e da inteligência artificial, há uma ameaça cada vez maior a profissões que requerem habilidades mais complexas e normalmente são associadas à classe média.

“Nenhuma indústria ou ocupação é imune à automação. No passado, isso estava restrito a atividades repetitivas. Agora, há um imenso volume de dados sendo gerados. A tecnologia de computação se sofisticou. Equipamentos eletrônicos usados na robótica estão melhores e mais baratos”, afirmou o especialista à BBC Brasil.

Isso permite identificar padrões e automatizar atividades não repetitivas, como fazer uma tradução ou dirigir um carro, coisas que não acreditávamos que podíamos automatizar há uma década

Frey analisou 702 tipos diferentes de empregos com salário anual superior a 40 mil libras (cerca de R$ 160 mil) para identificar quais as profissões “de colarinho branco” que mais correm o risco de serem automatizadas. »Continue lendo – Será que você corre risco de perder seu emprego para um robô?…

Ford cria impressora 3D que faz peças para carros

ford3d_625

A Ford anunciou nesta semana que será a primeira fabricante automobilística a testar uma nova impressora 3D que consegue produzir carros de tamanhos variados. A empresa também está testando a impressora para fabricar protótipos de peças que poderiam ser usadas em veículos futuros.

O uso de uma impressora 3D capaz de fabricar peças de qualquer tamanho e formato “poderia ser uma ruptura para a produção de carros”, afirmou a Ford em um comunicado sobre os testes.

A Ford está testando a impressora 3D Infinite-Build, da Stratasys, que foi uma das duas novas máquinas industriais anunciadas pela fabricante no ano passado. A impressora também consegue produzir objetos usando materiais como fibra de carbono para menos peso e peças mais fortes.

Por exemplo, a Ford afirmou que um spoiler feito com uma impressora 3D pode pesar menos da metade do seu equivalente feito de metal. »Continue lendo – Ford cria impressora 3D que faz peças para carros…

Conheça os incríveis animais-robôs da BBC

Em um esforço para capturar filmagens nunca vistas de animais em seus habitats naturais, o programa Spy in the Wild, da BBC, cria versões robóticas de suricates, macacos e outras criaturas, projetados para se misturar com seus semelhantes da vida real. Os robôs são notavelmente verossímeis, até que você remova toda sua pele e revele seu funcionamento interno.

Desenhados e construídos por um artista de efeitos especiais chamado John Nolan, cada um desses espiões animatrônicos, equipados com eletrônicos e servomecanismos, podem levar meses para serem criados, e até mais no caso do orangotango serralheiro de tamanho real. Cada robô é especificamente projetado e programado para recriar naturalmente os movimentos de seus semelhantes da vida real, mas controles remotos também permitem aos produtores controlar manualmente os espiões equipados com câmeras, para que pareçam interagir com os animais, resultado em imagens fascinantes. »Continue lendo – Conheça os incríveis animais-robôs da BBC…

Ford apresenta novo serviço de entrega com drones

O futuro da mobilidade será plural, autônomo e elétrico, segundo a Ford. A montadora americana apresentou durante o Mobile World Congress, que aconteceu nesta semana em Barcelona, alguns conceitos de como pode ser o transporte no futuro.

Entre eles estava o Carr-e, uma espécie de veículo que propõe ser a esteira rolante individual de cada indivíduo. Trata-se de uma base móvel sem nenhuma espécie de apoio, a não ser o equilíbrio do usuário. Sensores instalados no dispositivo são responsáveis por calibrar o peso e a direção que o usuário dá para o Carr-e com o próprio corpo. Ao se inclinar para a direita, o dispositivo fará o mesmo e assim por diante, algo que a ver pelos visitantes da feira soou um pouco desafiador.
O veículo não foi pensado para áreas acidentadas, claro, como asfaltos machucados ou mesmo ladeiras e subidas. O aparelho estaria mais para um veículo intermediário para funcionários que precisam se locomover por grandes extensões como nos corredores de grandes companhias ou fábricas. Ele ainda traz um compartimento para guardar coisas e permite ser emparelhado com um wearable, algo que dá a habilidade para o robozinho seguir seu usuário onde ele for.

»Continue lendo – Ford apresenta novo serviço de entrega com drones…

Para Bill Gates, robôs que roubarem empregos terão de pagar impostos

24gates-videoSmall

Para o cofundador e ex-CEO da Microsoft, Bill Gates, robôs que roubarem empregos dos seres humanos no futuro terão de pagar impostos.

O bilionário defende a taxação desse trabalho feito por robôs como uma maneira de financiar os serviços sociais da sociedade, como saúde, infraestrutura e policiamento.

“Você simplesmente não pode desistir deste imposto”, afirmou Gates em uma entrevista recente. Para Gates, as empresas não podem ficar com os lucros gerados por esse trabalho automatizado sem pagar algum tipo de imposto.

Na opinião do filantropo, o dinheiro desses impostos poderia contribuir para diversos programas sociais, incluindo realocar as pessoas que perderam empregos para os robôs em áreas em necessidade, como educação, cuidados com idosos e auxílio a crianças com necessidades especiais. »Continue lendo – Para Bill Gates, robôs que roubarem empregos terão de pagar impostos…

Galera vai ao delírio na guerra de robôs da Campus Party

robos campus party 2017

Se um evento consegue traduzir com precisão o que é o espírito geek de uma Campus Party, provavelmente é a Batalha de Robôs.

Um caixote de vidro sustentado por vigas de aço serve de arena para dois protótipos lutadores, desenvolvidos por estudantes de mecatrônica de universidades e clubes de robótica. Ao redor, uma massa de jovens se aglomera sentada em uma arquibancada de madeira ou apoiada no guarda-corpo enquanto gritam palavras de apoio.

“Destrói ele”, “Mata, mata” e até um confuso “Os robôs vão destruir a humanidade” são ouvidos.

Nos bastidores, enquanto os animadores entretêm o público com um campeonato de “Mortal Kombat” no telão, a equipe Ogrobots, de Sorocaba, dá os últimos ajustes no Bugalele, robô equipado com um martelete na dianteira. »Continue lendo – Galera vai ao delírio na guerra de robôs da Campus Party…

Foxconn venderá 60 mil robôs em 2017

pepper

A Foxconn, fabricante dos iPhones e iPads da Apple, venderá cerca de 60 mil robôs humanoides Pepper, antecipou nesta quinta-feira (01/12) o jornal econômico de Taiwan “Gongshang Shibao”.
Os robôs Peppers foram desenvolvidos pela japonesa SoftBank Robotics Holdings (SBRH), controlada por Foxconn e Alibaba — cada um detém 20% das ações.

A Foxconn produz os robôs em sua fábrica na província de Shandong, no leste da China, e o valor total da venda dos 60 mil robôs que a companhia espera produzir será de aproximadamente US$ 500 milhões, segundo fontes industriais citadas pelo “Gongshang Shibao”.

A empresa taiuanesa promove a robotização de uma parte importante de sua produção. Do ponto de vista da produção, a empresa está interessada em robôs para uso doméstico e lúdico, como os modelos Pepper e Ibotn. »Continue lendo – Foxconn venderá 60 mil robôs em 2017…

IA do Google faz leitura labial melhor que humanos

deepmind

A divisão de Inteligência Artificial do Google, chamada de Deep Mind, e a Universidade de Oxford conseguiram criar o software de leitura labial mais preciso do mundo.

Para treinar a plataforma de rede neural e conseguir esse resultado, os cientistas usaram mais de 5 mil horas de programação de TV da rede britânica BBC, incluindo atrações como Newsnight e World Today, que totalizaram mais de 118 mil sentenças diferentes.

Segundo os pesquisadores, o software, chamado de Watch, Listen, Attend, and Spell, conseguiu registrar uma precisão de 46,8% na leitura labial das filmagens de vídeo, bem mais do que os 12,4% de precisão registrados por um ser humano especialista em leitura labial com os mesmos vídeos, que incluíam conversas entre políticos de programas da BBC. »Continue lendo – IA do Google faz leitura labial melhor que humanos…