Placa de US$29 da Pine64 quer concorrer com Raspberry Pi Compute Module 3

SOPINE_host_board_sideimg

O novo Compute Module 3, da Raspberry Pi, acaba de ganhar um rival com a chegada de um novo produto da fabricante da placa Pine64. O novo módulo de computação SOPINE A64 64-bit é uma versão menor do popular computador Pine64, que custa 15 dólares – o produto foi anunciado na mesma semana do Raspberry Pi Compute Module 3, que é uma versão menor da placa de mesmo nome.

Por 29 dólares, a SOPINE A64 está na mesma faixa de preço do Raspberry Pi Compute Module 3, que custa entre 25 e 30 dólares. O novo módulo SOPINE começará a ser vendido em fevereiro, segundo o site da fabricante.

No entanto, o SOPINE A64 não pode operar como um computador sozinho como a Pine64. Ele precisa ser conectado a um slot de memória dentro de um computador. »Continue lendo – Placa de US$29 da Pine64 quer concorrer com Raspberry Pi Compute Module 3…

7 tendências de startups para acompanhar em 2017

iot

De acordo com profissionais entrevistados para este artigo, a inteligência artificial e a aprendizagem de máquina vão ajudar a impulsionar a economia de tecnologia em 2017.

Quando CIO.com postou uma consulta no Help a Reporter, um site criado para ajudar os jornalistas a se conectar com as fontes, perguntando sobre as tendências para ficar de olho em 2017, a esmagadora maioria dos inquiridos apontou para inteligência artificial. Este próximo ano e além, a IA vai ajudar as empresas a “perturbar setores que não foram totalmente disruptivos”, diz Anthony Glomski, diretor da AG de ativos advisory, uma empresa de consultoria financeira. “A IA está em seus estágios iniciais com enorme impacto potencial.” »Continue lendo – 7 tendências de startups para acompanhar em 2017…

Android Things a Inteligência Artificial do Google

inteligencia-atificial

O Google com o Android está indo em direção à Internet das Coisas (IoT) na forma do Android Things, um novo sistema operacional que cresceu a partir do Project Brillo e conseguirá receber updates diretamente do Google.

Com o mercado de Internet das Coisas para casa ainda emergindo de um hobby para algo realmente de massa, a grande tração do Android nos smartphones pode fazer com que seja uma plataforma popular para aparelhos como lâmpadas, travas, termostatos e outras aplicações residenciais.

Nesta terça-feira, 13/12, o Google anunciou um preview para desenvolvedores do Android Things, que poderá rodar nas plataformas Raspberry Pi 3, Intel Edison, e NXP Pico. Será fácil para os desenvolvedores escalarem seus protótipos para grandes produções usando versões customizadas dessas placas, afirma o Google.

Para quem não lembra, o Google anunciou o Project Brillo durante a sua conferência Google I/O, em maio de 2015, juntamente com a Weave, uma plataforma para aparelhos de Internet das Coisas e comunicação na nuvem. A ideia por trás do Brillo era criar uma versão mais simples do Android para aparelhos menores e menos poderosos do que smartphones. »Continue lendo – Android Things a Inteligência Artificial do Google…

Internet das Coisas: Carros já conseguem se comunicar com semáforos conectados

auidi-iot

A Audi anunciou que o seu novo veículo, o Audi A4 2017, o Audi Q7 e todos os modelos feitos após 2016 conseguirão se comunicar com semáforos de trânsito habilitados com o Wi-Fi, que informarão aos motoristas quando luzes vermelhas ficarão verdes.

O recurso da Audi, o Traffic Light Information, foi anunciado inicialmente em agosto e, nesta semana durante evento, a fabricante demonstrou a tecnologia em Las Vegas.

Trata-se do primeiro recurso de sinalização de trânsito da Audi para alavancar o serviço Audi Traffic Light Information, que é o primeiro passo para a comunicação Veículo-para-Infraestrutura (V2I) e Veículo para Veículo (V2V) da montadora.

Ao aproximar um semáforo conectado, o Traffic Light Information mostrará o tempo restante até o semáforo mudar para verde no painel do motorista. A Audi disse que o serviço “ajuda a reduzir estresse e permite o motorista a relaxar sabendo aproximadamente o quanto de tempo falta antes de mudar o sinal”. »Continue lendo – Internet das Coisas: Carros já conseguem se comunicar com semáforos conectados…

Facebook quer se reinventar apostando na realidade virtual

does-facebook-m-prove-humans-are-the-missing-link-in-ai

O Facebook está explorando a realidade virtual para se reinventar na próxima década, objetivo para o qual também trabalha em inteligência artifical e em fórmulas para ampliar o número de pessoas com acesso à internet.

O responsável de tecnologia da rede social, Mike Schroepfer, explicou as estratégias do Facebook para o futuro nesta terça-feira durante a abertura do Web Summit, um congresso tecnológico realizado em Lisboa até a próxima quinta-feira.

Em sua apresentação, batizada de “Daqui a dez anos”, Schroepfer mostrou algumas das experiências realizadas pelo Facebook, principalmente concentradas em jogos e conversas entre as pessoas.

Outro dos desafios que estão concentrando os esforços da rede social é a criação de representações digitais humanas com expressividade suficiente para estabelecer uma comunicação mais parecida o possível com a realidade, explicou Schroepfer.

Todos os testes, segundo o diretor do Facebook, tem como objetivo, por exemplo conseguir fazer uma videochamada entre uma pessoa e a representação digital de outra. »Continue lendo – Facebook quer se reinventar apostando na realidade virtual…

Internet das coisas se aproxima da realidade

iot

Até pouco tempo atrás vista como ficção científica, a internet das coisas já assume funções cotidianas com aplicações na indústria, no varejo e no controle da saúde.

Sensores para monitorar condições físicas de pilotos de avião e motoristas de frotas, dispositivos para avaliar desempenho de carros, medidores de estoque e pontos de entrada de expediente acionados por impressão digital são alguns dos produtos que estão sendo ofertados no Brasil por companhias de tecnologia nacionais e estrangeiras.

Nesta semana, a Oi lançou na Futurecom 2016, evento do setor realizado nesta semana em São Paulo, um produto chamado Oi Smart, que é uma plataforma de automação para a criação de "ambientes inteligentes", como define a empresa.

Trata-se de um conjunto de equipamentos de segurança já conhecidos do consumidor, como câmeras, alarmes, sensores de movimento e biometria. A diferença é que eles são conectados uns aos outros em uma única plataforma, podem ser programados e transmitem informações ao usuário por meio do celular ou do computador. »Continue lendo – Internet das coisas se aproxima da realidade…