Saiba o que faz um produtor de rádio e TV

radio-tv

Conheça um pouco mais sobre a profissão Produtor(a) de Rádio e TV através de um quiz:

O curso de Rádio e TV é mais teórico ou mais prático?

Um bom curso de Rádio e TV deve equilibrar técnica, linguagem e conteúdo. A segunda parte do curso é muito prática: você irá produzir programas de rádio e de televisão, montar cenários e aprender a operar uma câmera e outros equipamentos. Mas é fundamental conhecer as teorias da Comunicação e as questões éticas da profissão antes.

O que exatamente um profissional de Rádio e TV faz?

Quem se forma em Rádio e TV pode requerer o DRT Pleno de radialista diplomado, que dá o direito de exercer diferentes funções de qualquer uma das etapas de realização audiovisual. O radialista entende as técnicas e atividades relacionadas à criação, produção e direção de programas de rádio, de televisão, produtos para internet ou para mídias alternativas e cobertura de eventos. Ele é preparado para trabalhar com diferentes gêneros de programas: ficcionais, informativos, humorísticos, esportivos, entretenimento, etc. O radialista também pode escrever roteiros, operar microfones e mesas de som, utilizar câmeras de vídeo e equipamentos de iluminação, gravar imagem e som em estúdios e em externas, montar as sequências que foram gravadas, aplicar efeitos, fazer vinhetas, esquematizar coberturas de eventos e transmissões ao vivo.

Qual é a diferença entre os cursos de Rádio e TV e Audiovisual?

Os cursos são bem parecidos. Algumas instituições optam por ter um único curso de Audiovisual que ofereça noções de cinema, rádio e TV. Outras universidades separam o curso de “Cinema” do curso de “Rádio e TV”. Um curso de “Audiovisual” ou de “Cinema” pode deixar de abordar questões específicas do mercado de rádio e televisão, como grade de programação, índices de audiência, controle de tempo, gravações multicâmeras, transmissões ao vivo, etc. Cursos de Cinema e de Audiovisual tendem a se concentrar em ficções e documentários, enquanto cursos de Rádio e TV abordam estes e outros formatos.

É possível unir Rádio e TV com jornalismo?

Sim! Existem profissionais formados em Rádio e TV trabalhando em programas jornalísticos. O profissional de Rádio e TV é preparado para propor e elaborar pautas, organizar e dirigir gravações de matérias em externas, auxiliar apresentadores de telejornais em gravações nos estúdios, apoiar repórteres em links ao vivo e ajudar na edição das reportagens.

Qual é a média de salário inicial?

O salário varia muito de acordo com a função exercida e o porte da empresa. Um assistente de produção começa ganhando em torno de R$ 1.400, porém há redatores e roteiristas que recebem em torno de R$ 10 mil mensais, enquanto um diretor de externas ou de programa pode ganhar até R$ 30 mil.

É fácil conseguir estágio na área?

Há muitas oportunidades em emissoras de rádio e TV, produtoras de vídeo, sites e portais, agências de publicidade e de eventos, instituições educativas e culturais, além de departamentos de comunicação de grandes empresas de diferentes áreas, mas é um mercado concorrido. Comece a procurar estágio a partir do 3º semestre de curso.

O inglês ou outra língua estrangeira abre portas nessa profissão?

Sim. Nesta, como também em outras carreiras, é um diferencial ter inglês ou outro idioma fluente. Além disso, o Brasil é referência na produção audiovisual e exporta programas para muitos países #ficaadica

Quais livros são bacanas para quem quer aprender mais sobre a área?
Procure A televisão levada a sério, de Arlindo Machado ou Manual urgente para radialistas apaixonados, de López Vigil.

Por Carolina Porne

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *