Conheça o Amazon Fire TV Stick, concorrente do Cast

Depois do Kindle, a Amazon inaugura mais uma grande linha de produtos no mercado brasileiro: Fire TV. O primeiro modelo a desembarcar no país é o Fire TV Stick, um dispositivo compacto que se conecta a uma TV para fazer streaming de conteúdos do Prime Video, Netflix, YouTube e outros serviços.

Custando R$ 289, ele concorre em preço com o Chromecast e possui um formato que lembra o gadget do Google, mas tem diferenças importantes: é totalmente independente do smartphone, acompanha um controle remoto e apresenta uma interface completa, bem parecida com a que encontramos em Smart TVs.

O Fire TV Stick é prático. Ele não exige um smartphone para nada, por isso, nenhum membro da família precisa instalar um aplicativo ou aprender a se conectar ao dispositivo. O aplicativo para Android e iOS é basicamente uma versão virtual do controle remoto físico. A vantagem em instalá-lo é poder digitar com o teclado do smartphone (em vez de cansar os dedos apertando teclas direcionais). Leia Mais

Files Go do Google libera a memória do seu celular

Files Go

Dias depois de apresentar um aplicativo que ajuda o controlar o uso do 3G e do 4G , o Google lançou outra ferramenta para simplificar o dia a dia dos usuários. Batizado de Files Go, o novo app é um gerenciador de arquivos voltado para liberar memória do celular com mais rapidez. O serviço também ajuda a localizar os arquivos e compartilhá-los com outras pessoas com mais agilidade.

Ao instalar o Files Go , os usuários recebem sugestões sobre os arquivos que podem ser excluídos, como aplicativos pouco utilizados, arquivos muito grandes ou arquivos duplicados . O gerenciador também consegue identificar memes e vídeos em baixa resolução com a ajuda da tecnologia Mobile Vision, desenvolvida pelo Google, para indicar onde você pode ganhar espaço no celular.

Para ajudar a encontrar os arquivos mais rapidamente, o aplicativo oferece uma série de filtros inteligentes que organizam imagens, vídeos, apps e documentos de forma automática. Todo o material pode ser enviado para o Drive, serviço de armazenamento na nuvem do Google. Para isso, basta selecionar o arquivo desejado e escolher a opção de backup para a plataforma ou em qualquer outra ferramenta de armazenamento na nuvem. Leia Mais

Whindersson Nunes ainda é lider no YouTube Brasil

Whindersson Nunes

O comediante piauiense Whindersson Nunes segue sendo o rei do YouTube no Brasil. Um de seus vídeos foi o melhor ranqueado no país em 2017 segundo a equipe do Google Brasil. 

Whindersson lidera a lista nacional com "Eu Cansei de Ser Pobre", uma paródia de "Shape of You", hit do cantor britânico Ed Sheeran. Curiosamente, uma coreografia para a canção de Sheeran ficou em segundo lugar no ranking global.

No Brasil, o público mostra que youtubers e música são sucessos na plataforma de vídeos. No Brasil, foram sucessos os youtubers Kéfera Buchmann, Felipe Neto e Pedro Afonso, o "Rezende Evil", além da cantora de funk Dani Russo.

Já os campeões mundiais do YouTube em 2017 incluem Lady Gaga em um anúncio de refrigerante; Darci Lynne, participante de 12 anos do reality de talentos "America’s Got Talent"; e a famosa entrevista de Robert Kelly, que foi interrompido pelos filhos pequenos, em uma transmissão ao vivo na rede de notícias inglesa "BBC".

Leia Mais

Economista vencedor do Nobel quer o fim do Bitcoin

Em meio à valorização constante do Bitcoin, que passou dos 10 mil dólares por unidade na semana passada, o premiado economista Joseph Stiglitz, vencedor do Prêmio Nobel em 2001 por sua análise sobre mercados com informações assimétricas, destoou ao criticar recentemente a moeda virtual.

Em entrevista para a Bloomberg, Stiglitz afirmou que o “Bitcoin só é bem-sucedido por conta do seu potencial para fraudes e falta de supervisão”. “É uma bolha que dará muitas emoções para muitas pessoas à medida que sobe e desce.”

Sem a vigilância de órgãos governamentais, aponta o vencedor do Nobel, a criptomoeda “deve ser banida” uma vez que “não serve a nenhuma função social verdadeira”.

Na última semana, para quem não lembra, o Bitcoin teve uma valorização e tanto, superando a barreira dos 11 mil dólares por unidades pela primeira vez. O crescimento da moeda em 2017 é estimado em 933%, segundo WSJ.