Apple em Hollywood

Apple em Hollywood

Apple planeja investir US$ 1 bilhão para comprar e produzir conteúdo audiovisual durante 2018, como séries e filmes, conforme revelou na última quarta-feira (16/08) o “The Wall Street Journal”.

O valor colocaria a gigante tecnológica como uma das grandes de Hollywood, já que o montante é, aproximadamente, a metade de tudo o que, por exemplo, a “HBO” gastou no ano passado em produções, de acordo com a publicação.

Segundo fontes citadas pelo “The Wall Street Journal”, com esse dinheiro a empresa poderia comprar e produzir até dez séries de TV e entraria totalmente na corrida por conteúdos, da qual já fazem parte outras grandes do ramo da tecnologia, como a Amazon. »Continue lendo – Apple em Hollywood…

Vale a pena investir em moedas virtuais?

Vale a pena investir em moedas virtuaisRecentemente muitas pessoas tem se interessado em investir nas moedas virtuais, em específico a Bitcoin. Particularmente com dúvidas sobre sua mineração, ou seja, quais são os equipamentos que devo comprar para minerar, porém, as dúvidas também envolvem a contratação de serviços de “mineração em nuvem”, normalmente para saber se um serviço específico é confiável. Bom, faço um aviso logo a todos, existe muitas fraudes envolvendo esse tipo de negócio.

A ideia de “mineração em nuvem” funciona basicamente em você pagar um valor estipulado pelo prestador do serviço. O dinheiro investido por você será teoricamente usado para a aquisição ou manutenção dos equipamentos utilizados na mineração, e você recebe uma parcela proporcional ao que investiu.

A mineração do Bitcoin e de outras moedas virtuais dá retorno de duas formas. A primeira é um valor estipulado pela própria rede – o minerador “ganha” essas moedas quando gera um bloco válido (o bloco finaliza as transações na rede). A segunda receita é uma espécie de “troco”, as moedas que “sobram” das transações realizadas. Por exemplo, se uma transação usa três moedas de fonte e tem destino para apenas duas, o que sobra é considerado “tarifa” para o minerador.

Mas essas duas receitas dependem da obtenção de blocos válidos. Blocos são finitos (em média, são gerados a cada dez minutos) e a atividade de mineração é uma espécie de “loteria”. Aumentar a capacidade de processamento equivale a poder apostar com mais números, mas ainda assim não garante o prêmio. Por isso, a receita é, por natureza, inconstante. »Continue lendo – Vale a pena investir em moedas virtuais?…

O impacto da “Cauda Longa” no mercado pós-digital

dino

Long Tail ou Cauda Longa é um termo utilizado na estatística para identificar distribuições de dados, onde o volume de dados é classificado de forma decrescente. Quando comparada a uma distribuição normal, a cauda longa apresenta uma quantidade relativamente maior de dados ao longo da cauda.

Atualmente na era pós-digital, os baixos custos de distribuição e armazenamento aplicam esta estratégia com sucesso , obtendo assim uma quantidade significativa de lucro vendendo produtos incomuns para várias pessoas, ao invés de se limitar aos poucos produtos mais populares que vendem em maior quantidade. O conjunto das vendas desta grande quantidade de produtos não populares é chamada de Cauda Longa.

A teoria da Cauda Longa

Dadas opções abundantes, uma grande população de consumidores, e custos desprezíveis de armazenamento e distribuição dos produtos, o padrão de compras da população resulta na demanda dos produtos seguirem uma distribuição de probabilidade segundo uma lei de potência. »Continue lendo – O impacto da “Cauda Longa” no mercado pós-digital…