GM compra startup que desenvolve sensores para carros autônomos

GM adquire startup que desenvolve sensores para carros sem motorista

A General Motors vem buscando garantir um espaço cativo no cada vez mais concorrido universo de carros autônomos. Depois de adquirir no ano passado a startup Cruise Automation para endossar sua nova divisão Autonomous Vehicle Development, a gigante que fabrica as marcas Chevrolet, Buick e Cadillacs anunciou nesta semana seus planos de adquirir outra startup da indústria, a Strobe.

A Strobe se especializou na fabricação de sensores LiDAR (sigla em inglês para Light Detection And Ranging) que, em resumo, atuam como os “olhos” desses veículos.

Segundo o próprio CEO da Cruise, Kyle Vogt, a Strobe conseguiu, com sucesso, reduzir o aparato de sensores LiDAR em único chip. Algo que ajudará a reduzir os custos de produção em quase 100%.

Em post publicado no Medium, Vogt diz que a tecnologia da Strobe ajudará a montadora a acelerar a produção e a implementação de carros sem motorista. Ele explica que os sensores da startup fornecem dados de distância e de velocidade que podem ser checados com outros sensores, como radares para fins de redundância. Leia Mais

Dell vai investir em pesquisa e desenvolvimento de IoT

A Dell Technologies anunciou nesta terça-feira, 10, a criação da Divisão de Soluções para Internet das Coisas (IoT), que será comandada por Ray O’Farrell, CTO da VMware. A área será responsável por combinar tecnologias do amplo portfólio de serviços e soluções da Dell Tecnologies para oferecer soluções ao mercado. Além disso, a companhia investirá US$ 1 bilhão nos próximos três anos em novos produtos, laboratórios e programs de parcerias para auxiliar na implementação de projetos de IoT pelas empresas.

“A IoT está mudando a forma como vivemos, como as organizações operam e como o mundo funciona”, explica Michael Dell, chairman e CEO da Dell Technologies. “A Dell está liderando o caminho para nossos clientes com a distribuição de uma nova arquitetura de computação que reúne IoT e inteligência artificial em um ecossistema interdependente, que vai da borda ao núcleo, passando pela nuvem”, completa. Você com o poder da IBM: Inteligência artificial projetada para negócios Patrocinado

De acordo com O’Farrell, a Dell identificou grandes oportunidades para expansão da IoT no mundo, dado o seu histórico no mercado de tecnologia de ponta. “A divisão de IoT aproveitará a força em toda a família de negócios da Dell para garantir que oferecemos a solução certa, em combinação com o nosso vasto ecossistema de parceiros – para atender às necessidades dos clientes e ajudá-los a implantar sistemas IoT integrados com maior facilidade.” Leia Mais

Bem vindo ao Mundo 3.0

Falando especificamente de negócios, as coisa não funcionam mais como antes.

Soluções que vem desde o século passado, não solucionam mais nada. Operações que eram simples, agora tornaram-se sistemas complexos. Padrões de comportamento e relacionamento instituídos à décadas são desconstruídos em meses. As formas de relacionamentos com os stakeholders, transformam-se do dia para a noite. As propostas de valor estabelecidas lá atras, não tem mais valor.

É todo um novo mundo, uma quantidade enorme de oportunidades. Mas, para quem está olhando somente para si mesmo e para o seu “problema”… tudo parece uma ameaça.

Em 2011 foi previsto que até 2021, 40% das empresas listadas no Fortune 500, desapareceriam por dificuldade de se adaptar. E essa porcentagem, vem aumentando ano a ano.

É possível entender esse cenário de transformação e mudança no qual estamos inseridos hoje?

É possível acompanhar todas a mudanças? Leia Mais

De professores a advogados estão virando moradores de rua

Moradores de rua também têm sua “classe média”, gente outrora mais abastada que entrou numa espiral de decadência da qual não conseguiu sair e, hoje, acode aos albergues da Prefeitura de São Paulo em busca de segurança e de apoio para sobreviver com as próprias pernas. É um subgrupo que não pratica a mendicância, evita dormir ao ar livre e usufrui da estrutura pública de assistência social por meses, às vezes, anos.

Sua penúria tem as mesmas origens de quase toda população excluída –desemprego, despejo, separação conjugal, doenças psiquiátricas e vício em álcool e drogas.

Mas seu tombo social costuma ser maior: até se verem sem nada e atingirem o esgotamento, passaram a maior parte da vida com trabalho e carteira assinada, fizeram cursos universitários, tiveram uma família, falam duas línguas ou mais e viajaram o mundo por conta da carreira ou por aventura.

“A gente vê que muitos moradores de rua são qualificados –tem ex-advogado, dono de posto de gasolina, piloto de avião”, diz o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Filipe Sabará, que substituiu a vereadora Soninha Francine (PPS) no comando da pasta na gestão João Doria (PSDB) há seis meses. Leia Mais

Antes de Marte astronautas vão à Lua

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, afirmou nesta quinta-feira (05/10) que o governo norte-americano planeja enviar humanos de volta à Lua. Trata-se, segundo Pence, de uma missão que melhor preparará o país para a exploração de Marte e outros planetas do nosso Sistema Solar.

Os novos planos vão contra o que o ex-presidente Barack Obama defendia. Ele rejeitava a ideia de concentrar esforços e verba para enviar astronautas à Lua. “Nós já estivemos lá”, dizia ele.

Durante sua administração, Obama havia aprovado o desenvolvimento de um grande foguete,  o Space Launch System, e a cápsula espacial Orion. No entanto, ao assumir o poder Donald Trump descartou o projeto que usaria tais sistemas quando ficarem prontos.

Em um discurso realizado no Museu Nacional Smithsonian do Ar e do Espaço, no estado da Virginia, o vice de Trump disse que política espacial dos EUA perdeu a sua vantagem e precisa se reafirmar.  Leia Mais

Fones de ouvido do Google faz tradução simultânea

Google lançou uma nova tecnologia que vai quebrar de vez a barreira dos idiomas: fones de ouvido que fazem tradução simultânea.

A tecnologia utilizada é a Pixel Buds, a mesma do Google Tradutor. Por conta disso, ele oferece suporte para 40 línguas.

Com o recurso ativado, quando uma pessoa fala com você, o microfone capta o áudio e devolve o sinal de áudio com a tradução do que foi dito. Há um delay nesse processo, mas a demonstração do Google no palco do seu principal evento de hardware do ano, realizado em San Francisco nesta semana, mostra que esse tempo é de segundos.

Para simular o processo de tradução dos fones de ouvido, você pode usar o aplicativo grátis do Google Tradutor no seu smartphone. Leia Mais

Entenda por que as montadoras estão investindo em serviço de compartilhamento de bicicletas

A montadora Ford anunciou recentemente seu serviço de compartilhamento de bicicletas, algo até então bem estranho para uma montadora de automóveis, onde seu foco seria naturalmente carros, não acham?

Talvez sim a uma década atrás, mas hoje é necessário que as grandes, médias ou pequenas empresas se reinventem,  cada vez mais estamos imersos em um mundo onde a tecnologia dá saltos exponenciais. O projeto da Ford indica que a empresa já percebeu para onde estamos sendo guiados, e que a bola da vez poderá não ser óbvio -“carros”, mas sim, nossa mobilidade.

Serviços com bicicletas inteligentes tem objetivos claros: fornecer informações importantes sobre seus usuários, como seu tempo de uso, sua geografia, seus horários e fluxos entre outras necessidades ainda invisíveis aos nossos olhos, oriundas de um mundo em  mudanças aceleradas e irreversíveis. Leia Mais

A Amazon vai engolir o varejo tradicional?

O título acima nos faz refletir o quanto a inovação é poderosa, ao mesmo tempo nos faz questionar sobre onde nós pessoas e empresas estamos preparados ou o quanto estamos investindo nesta “preparação” para um futuro repleto desafios e rupturas.

A pouco tempo atrás fui surpreendido com uma manchete nada humilde, mais ou menos assim: “Amazon vai reinventar o supermercado”.

A manchete acompanhava um breve vídeo que mostrava uma solução simples para o fim das filas nos supermercados.

A  ideia de um supermercado sem checkout é simples, porém revolucionária. Nele, o consumidor posiciona o celular em um leitor na entrada do supermercado, pega os produtos desejados e sai da loja sem precisar pegar filas e passar por um caixa.

Nesse modelo de supermercado, a tecnologia monitora os produtos adquiridos pelo consumidor. Se eles forem adicionados à compra do cliente, são computados em uma espécie de carrinho virtual em tempo real e cobrados automaticamente pela Amazon . Sim, a cobrança é feita usando apenas um celular e um leitor. O recibo é enviado para o cliente após a compra. Leia Mais

Escola e inovação educacional no novo mundo do trabalho

Em um projeto contemporâneo de escola, o conceito de “Aula” é problemático, na medida em que aposta em metáforas de transmissão de informações e retenção de aprendizagem, indefensáveis do ponto de vista dos estudos científicos mais atuais sobre o desenvolvimento humano.
Apesar disso, a escola é um espaço vital de manutenção da cultura e construção da vida cotidiana, portanto instrumento fundamental de atração e fortalecimento da comunidade, da escuta de seus desejos e feedback para suas demandas.

O professor não é, por sua natureza, resistente a mudanças

Conta-se maliciosamente que, viajantes no tempo desde o séc. XIX, médicos se sentiriam inúteis numa sala de cirurgia atual, enquanto professores oriundos da mesma época ficariam muito confortáveis nas salas de aula. Essa narrativa é mal intencionada e esconde o papel da sociedade, das empresas e do Estado na história dos hospitais e das escolas. Esconde, em particular, o quão raramente essas instituições se lançaram intencionalmente no redesenho da escola, em codesign com professores e alunos, tanto quanto o fizeram no redesenho da medicina e dos artefatos médicos.
Por outro lado, precisamos fortalecer a imagem do professor enquanto empreendedor da mudança, metaforizando a sala de aula como uma startup (sem fluxos de caixa, claro!) e os alunos como os colaboradores e protagonistas da missão da escola: A criação de cenários de aprendizagem. Leia Mais

Sua imagem digital pode ser mais importante que o seu currículo

E aí? Caprichou no currículo? Agora imprime ele, coloca numa moldura e pendura na parede. E pode escrever assim: “vai deixar saudades”.

Vejo muitas pessoas excessivamente preocupadas com o currículo. Gastam um tempo enorme com o formato e com palavras bonitas. O currículo ainda cumpre um papel na atividade da busca de emprego, mas o fato é que ele vem perdendo relevância para quem deseja mostrar as suas competências e experiências para um futuro empregador. Acredito que, em breve, as empresas talvez nem olhem mais para o currículo das pessoas.

Pense em você como consumidor. O que você faz se deseja conhecer e pesquisar sobre determinado produto ou serviço? Você acredita puramente na propaganda ou você pesquisa arduamente na web e nas redes sociais para saber mais a respeito do que as pessoas falam sobre aquilo?

Num ponto de vista extremo, o currículo nada mais é do que uma peça de propaganda sobre você mesmo. O seu “ser real”, porém, é formado pelas experiências, pelas realizações e pelas redes de relacionamento que você constrói ao longo do caminho. Isso vale para o mundo físico e o mundo online, especialmente das redes sociais. Leia Mais

WhatsApp lança ferramenta de comunicação entre empresas e clientes

O WhatsApp anunciou recentemente novos recursos corporativos para facilitarem a comunicação entre empresas e clientes. Ainda em testes, a novidade ainda não tem previsão de quando será lançada de forma geral no mercado.

O Itaú será a primeira grande empresa do Brasil a utilizar a nova ferramenta do aplicativo de mensagens do Facebook. Segundo o banco, os testes com o piloto serão iniciados “em breve” com clientes Personnalité Digital.

De acordo com um comunicado da instituição financeira, o projeto tem a intenção de facilitar o diálogo entre os clientes e seus gerentes. Entre as funcionalidades estudadas pelas companhias estão o envio de notificações e de alertas. Leia Mais

Elon Musk define data para apresentar caminhão elétrico semiautônomo

Tesla

A Tesla apresentará o seu caminhão semiautônomo elétrico no próximo dia 26 de outubro em Hawthorne, Califórnia, informou o CEO Elon Musk por meio de sua conta no Twitter. E o empresário criou grande expectativa para o lançamento: “Vale a pena ver esse monstro em pessoa. É irreal”, escreveu na rede social.

O chamado Tesla Semi foi anunciado, pela primeira vez, no ano passado e em abril, Musk disse, em comunicado, que o veículo seria revelado em setembro. Em reunião com investidores, realizada em agosto, o empresário havia dito que o desenvolvimento do veículo estava no prazo, apesar do relativo atraso de um mês.

Um caminhão elétrico e com capacidades para dirigir sozinho tem potencial para transformar toda uma indústria de transporte rodoviário comercial. Entretanto, alguns analistas continuam céticos quanto à tecnologia da bateria, que acrescenta muito mais volume ao veículo e, assim, consumiria mais de sua energia total – algo que poderia comprometer a capacidade de carga útil máxima do caminhão. Por dentro do assunto: Você sabia que big data pode ser o combustível que vai acelerar a indústria automobilística? A Hekima revela o motivo Patrocinado Leia Mais

Microchip simulador de ressonância magnética pode ajudar a diagnosticar e tratar doenças com precisão

Microchip simulador de ressonância magnética

Os pesquisadores da Caltech desenvolveram um microchip estilo “Viagem fantástica” que poderá no futuro ser ingeridos como “pílulas inteligentes” para diagnosticar e tratar doenças.

Chamados de ATOMS (transmissores endereçáveis operados como rotações magnéticas), estes microchips poderão um dia monitorar o trato gastrointestinal, o sangue e até mesmo os cérebros dos pacientes, medindo fatores que indicam problemas de saúde – como também seu pH, temperatura, pressão e taxa de glicose no sangue.

Uma matéria publicada na edição de setembro da revista Nature Biomedical Engineering descreve como funciona o novo dispositivo criado pelo cientista Manuel Monge, que agora trabalha na nova empresa Neuneink de Elon Musk. Leia Mais

Vida 3.0 – O ser humano na era da inteligência artificial

Em seu novo livro, Vida 3.0 : O Ser humano na Era da Inteligência Artificial, o físico da MIT Max Tegmark (foto) explora o futuro da tecnologia, da vida e da inteligência.

A questão de como definir a vida é notoriamente controversa. São abundantes as definições concorrentes, algumas das quais incluem requisitos altamente específicos, como a composição de células, que podem desqualificar máquinas futuras inteligentes e civilizações extraterrestres. Uma vez que não queremos limitar o nosso pensamento sobre o futuro da vida para as espécies que encontramos até agora, defina a vida de forma muito ampla, simplesmente como um processo que pode reter sua complexidade e replicação.

O que é replicado não é matéria (feita de átomos), mas informações (feitas de bits) especificando como os átomos estão dispostos. Quando uma bactéria faz uma cópia do seu DNA, não são criados novos átomos, mas um novo conjunto de átomos está organizado no mesmo padrão que o original, copiando assim a informação.

Em outras palavras, podemos pensar na vida como um sistema de processamento de informações auto-replicante cujas informações (software) determinam seu comportamento e os planos para o seu hardware.

Tal como o nosso próprio Universo, a vida tornou-se cada vez mais complexa e interessante, e, como explico agora, considero útil classificar formas de vida em três níveis de sofisticação: Vidas 1.0, 2.0 e 3.0.

Ainda é uma questão aberta como, quando e onde a vida apareceu pela primeira vez em nosso Universo, mas há uma forte evidência de que aqui na Terra a vida apareceu pela primeira vez há cerca de 4 bilhões de anos atrás.

Em pouco tempo, nosso planeta estava cheio de uma panóplia diversificada de formas de vida. Os mais bem sucedidos, que logo ultrapassaram o resto, conseguiram reagir de algum modo ao meio ambiente. Leia Mais

Qual banana você contrataria?

Todos sabem que a missão do recrutador para escolher o melhor candidato para um emprego não é fácil. As empresas que o contratam esperam que você encontre a combinação perfeita. Se você falhar, seus concorrentes estão prontos para assumir seus clientes.

Essa é a razão pela quais muitos recrutadores vão para um candidato “seguro”, mais do que realmente procurar o “melhor” candidato?

Imagine ter que escolher a melhor banana para uma empresa, qual escolheria?

AA banana verde. Esta é a banana “não madura”, direta da árvore. Quando você vai optar por essa banana, você terá que dar a ela tempo para amadurecer. O bom ponto é que você pode dar a essa banana as melhores circunstâncias e engajamento para se tornar a melhor banana possível que possa ser. O fato positivo também é que é muito improvável que outra empresa tente tirar sua banana, pois ela está amadurecendo.

Quando você faz um ótimo trabalho para ajudar a banana a ser madura, você pode encontrar Leia Mais

Sua empresa está preparada para o futuro do trabalho?

futuro do trabalho

Em entrevista exclusiva, Silvio Meira, especialista em Tecnologia da informação e inovação, projeta a profunda mudança pela qual a organização do trabalho, os profissionais, as empresas e as cidades devem passar nos próximos anos.

 

Quanto tempo o leitor leva no transporte entre sua casa e o trabalho? Se for de 10 a 15 minutos, é saudável. Se chegar a algo entre 40 e 90 minutos, trata-se de um quadro doentio. E se sua resposta for “não sei, varia muito”, como já ocorre em São Paulo e começa a ocorrer em cidades como Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Recife e Brasília, o caso é terminal. Pior que isso, só se você já estiver conformado com a situação, achando-a “natural”.

Vivemos, cada vez mais, em uma sociedade de serviços, em que a moeda é o tempo das pessoas. Se, em um dia de 16 horas “líquidas”, três se comprometem no trânsito, isso precisa ser encarado, microeconomicamente, como um custo de transação intolerável. Também não é pagável do ponto de vista da macroeconomia, uma vez que os danos ao meio ambiente decorrentes
comprometem a produção e o consumo no longo prazo. E, se a vida humana dura cerca de 100 anos, tal desperdício é inaceitável. Isso já está sendo percebido, tanto que 57% dos moradores de São Paulo querem deixar a cidade, segundo pesquisa recente, e não é por considerá-la “horrível”.

O cenário decorre de um descompasso. Temos um modo de trabalho organizado nos moldes industriais, mas nossa economia deixou de se basear na indústria. E ele se repete no mundo todo, ainda que seja mais agudo em países como o Brasil, que têm um modelo de mobilidade urbana pré-moderno (porque as âncoras do sistema de transporte não são todas conectadas, como seriam, por exemplo, se um metrô ligasse o aeroporto ao centro da cidade) e cuja taxa de crescimento demográfico ainda é elevada –em 2025, estima-se que o número de habitantes da Grande São Paulo salte de 16 milhões para 25 milhões, acompanhando um PIB de quase US$ 1 trilhão. Leia Mais

Dossiê Bitcoin

Tudo sobre Bitcoins

A moeda virtual não emitida por nenhum governo apareceu em 2008 no grupo de discussão “The Cryptography Mailing”. Naquela época, poucos imaginavam a valorização e importância que teria no futuro.

Hoje, após ter sido a moeda que mais valorizou em 2016, passou a chamar mais a atenção, mas ainda causa dúvidas. Fernando Pavani, CEO da BeeTech, empresa que oferece soluções cambiais 100% online, esclarece algumas das principais questões acerca da criptomoeda.

O que é a Bitcoin?

Tecnologia criada em 2008, a Bitcoin é uma moeda virtual, uma criptomoeda – ou cryptocurrency, porém as “cédulas virtuais” não são emitidas por nenhum governo e não possuem um órgão regulador o que dificulta um pouco seu uso e gera muitas dúvidas sobre o que pode, e o que não se pode fazer com Bitcoin. 

O maior motivo alegado por pessoas que compram Bitcoins é o de investimento, compra-se a moeda esperando que ela se valorize muito e, assim, se assuma um ganho de valor. O uso de Bitcoin é visto, por muitos especialistas, como o futuro e alguns países já estão encontrando um lugar em sua economia para as criptomoedas. O Japão já regularizou a moeda digital como forma de pagamento e a Rússia já anunciou planos para fazer o mesmo em 2018. Leia Mais

Conheça os aplicativos de transporte que atendem exclusivamente mulheres

Na última segunda-feira (28), a escritora Clara Averbuck denunciou um caso de estupro envolvendo um motorista do Uber. Em relato publicado em seu perfil no Facebook, Clara contou que o motorista se aproveitou de sua embriaguez para molestá-la.

Para ampliar o debate e chamar a atenção para esses casos, a escritora lançou uma campanha na Internet para que outras mulheres compartilhem relatos de assédio ou estupro que já sofreram em táxis ou carros de aplicativos de carona. A ideia é mostrar que essas situações são mais comuns do que se imagina.

“Você tem uma história de abuso ou assédio no uber, táxi, cabify, qualquer um desses serviços? Não tenha medo e nem vergonha. A culpa não é sua”, escreveu na publicação que fez sobre a campanha.

Como alternativa e uma forma de resposta ao crescente assédio nesses serviços, startups brasileiras lançaram aplicativos dedicados, exclusivamente, a transportar mulheres. O principal diferencial? Aqui, a mulher também assume o volante.

Na lista abaixo, separamos os aplicativos que se mostram como uma alternativa mais segura e confortável para mulheres, sejam elas motoristas ou passageiras. Leia Mais

Evento da Apple deve lançar novos iPhones

Apple marcou um evento para o anúncio de produtos para 12 de setembro, segundo pessoas com conhecimento do assunto, reforçando expectativas de que a gigante da tecnologia lançará novos iPhones e um smartwatch bem antes da temporada de compras do fim de ano.

A empresa deverá apresentar três novos modelos do iPhone, disseram as fontes, incluindo um aparelho maior de “tela infinita” e com tecnologia de reconhecimento facial para marcar o 10º aniversário do smartphone, além de versões atualizadas dos atuais iPhone 7.

Nos últimos meses, analistas vinham dizendo que problemas na produção poderiam levar a Apple a adiar o lançamento do modelo com “tela infinita”. Mas se o evento realmente ocorrer em 12 de setembro, estará mais ou menos em linha com os lançamentos de iPhones de anos recentes.

A Apple se recusou a confirmar a data do evento. A empresa normalmente mantém em segredo informações sobre eventos do tipo até poucos dias antes da data de lançamento. Leia Mais